Oi não consegue antecipar leilão de data center

Negociação seria realizada no dia 19 de novembro, mas o pedido foi rejeitado pelo juiz; saiba mais detalhes.

Ilustração - Leilão
Imagem: Pixabay

A Oi (OIBR3 / OIBR4) bem que tentou, mas teve seu pedido recusado. A ideia era já receber as propostas pelos ativos de data center nesta quinta-feira, 19 de novembro.

No entanto, a data do leilão foi mantida para 26 de novembro, por causa de uma recusa do juiz Fernando Viana, da 7ª Vara Empresarial da Comarca do Rio de Janeiro.


Para a autoridade, não havia qualquer evidência de prejuízo, motivo utilizado pela tele para conseguir a nova marcação.

Nos corredores da Oi, há o desejo de ter os recursos financeiros provenientes das negociações de ativos até o fim de 2020. Por isso, a operadora segue com tentativas de agilizar os processos.

VIU ISSO?

–> Oi quer antecipar leilão para venda de ativos

–> Caixa da Oi registra recuo de R$ 284 milhões

–> Ministério Público quer fim da recuperação da Oi em 12 meses

Uma antecipação em razão da pandemia do novo coronavírus é sustentável na visão do juiz. Afinal, o gabinete e a serventia trabalham em regime presencial diferenciado.

No entanto, a realização de forma apressada ou instigada pode acarretar em irregularidade ou nulidade, assim a situação fica ainda mais atrasada.

Portanto, para o dia 26 de novembro, próxima quinta-feira, fica agendado o leilão que vai ofertar os ativos de torre e data center da Oi.

Com informações de Tele.Síntese

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários