Início5GBrasil não teme consequências se optar pela Huawei, diz Mourão

Brasil não teme consequências se optar pela Huawei, diz Mourão

Fala do vice-presidente ocorre após advertência feita por embaixador americano.

Imagem: Tomaz Silva/Agência Brasil

Nesta segunda-feira, 3, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou que o Brasil não teme consequências caso seja mantida a Huawei como uma fornecedora de produtos para a rede 5G do país.

A fala de Mourão é uma resposta ao embaixador dos Estados Unidos, Todd Chapman, que advertiu, na semana passada, que o país poderia sofrer consequências caso optasse por permitir a entrada de produtos chineses na infraestrutura de rede de quinta geração brasileira.


Durante entrevista para imprensa estrangeira, o vice-presidente lembrou que mais de um terço das redes 4G do Brasil já utilizam equipamentos da Huawei. Ele salienta que caso a fabricante chinesa fosse banida, a infraestrutura atualmente instalada precisaria ser removida, o que prejudicaria as operadoras.

Ele defendeu que nenhuma empresa pode ser impedida de participar do leilão e acrescentou que a “Huawei tem uma capacidade acima de algumas concorrentes”.

Os Estados Unidos e a China estão no meio de uma grande guerra comercial. O Brasil é afetado por essa disputa, pois, ambos são os dois principais parceiros comerciais do país.

“Nossa visão é clara. Os Estados Unidos são um aliado histórico (…) Independentemente da presença do presidente Trump, ou no caso de Joe Biden ser o novo presidente, o relacionamento entre os estados brasileiro e americano continuará bem”, completou o vice-presidente.

VIU ISSO?

–> Usuários fazem ‘campanha’ contra a Huawei nas redes sociais

–> Ministério fecha acesso a documentos sobre 5G e Huawei

–> Nenhuma rede de comunicação é inviolável, diz Heleno

Apesar dessa e outras falas de Mourão favoráveis à Huawei, o presidente da República, Jair Bolsonaro, ainda não emitiu qualquer opinião sobre o tema.

Segundo, Fábio Faria, ministro das Comunicações, uma definição sobre Huawei não é vista com urgência por Bolsonaro, e que o presidente só deve emitir uma decisão no ano que vem, na época do leilão das frequências 5G.

Com informações de UOL.

Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.

6 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
6 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários