Claro pode se tornar produtora de conteúdo audiovisual

Já imaginou assistir a uma série inteiramente produzida pelo NOW? Não está longe de acontecer.

NOW, da Claro net
Imagem: Logotipo do NOW

A legislação ainda é uma grande barreira para que as empresas de TV por assinatura possam moldar seu próprio futuro, mas parece que a Claro já tem ideias claras, caso o cenário tenha a mudança esperada para os próximos anos.

Em evento recente, a operadora destacou o interesse de explorar o mercado de TV linear via aplicativos, além de produzir de conteúdo.


Há pouco tempo, a empresa entrou em um embate contra a FOX, quando a marca começou a vender assinaturas do seu serviço de streaming e disponibilizou a transmissão dos seus canais fechados via internet.

Ao fim da disputa, a FOX seguiu liberada para fazer a venda, pois a Anatel entendeu que se trata de um SVA (Serviço de Valor Agregado), ou seja, não faz parte da regulação do órgão.

Mas, desde então, há grandes conflitos e incompreensões a respeito da regulação do streaming. A própria compra da Warner pela AT&T no Brasil, que demorou anos para ser aprovada, levantou debates sobre uma mudança na Lei da TV por assinatura (Lei do SeAC).

A gigante americana foi impedida, desde 2016, por ser dona da SKY também. De acordo com a legislação, uma empresa não pode controlar distribuição e produção de conteúdo, ao mesmo tempo.

VIU ISSO?

–> Canais terão mais um mês de sinal aberto na Claro net

–> Claro net estreia série com exclusividade no NOW
 
–> Fusão a caminho? Nextel ganha tonalidade vermelha da Claro

ECONOMIZE! 💰 Compare os planos das operadoras de celular e escolha o mais vantajoso para você.

Márcio Carvalho, CMO da Claro, confirmou que a operadora trabalha com essas duas possibilidades: transmissão de TV linear via apps e produção de conteúdo.

Portanto, se houver o entendimento de que a distribuição de conteúdo pela internet está fora das regras da Lei do SeAC, a operadora pode potencializar o NOW, aplicativo de vídeo sob demanda da Claro net.

No entanto, poderá encontrar também uma forte concorrência, que é a do Globoplay e Netflix, atualmente grandes potências em produção de conteúdo nacional.

Com informações de Tele.Síntese

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários