EUA continua a fazer lobby sobre o Brasil na questão do 5G

Governo norte-americano recomenda que o país tenha cuidado ao fazer negócios com fabricantes chineses.

Nesta terça-feira, 5, durante entrevista para o canal fechado CNN Brasil, Todd Chapman, embaixador dos Estados Unidos em Brasília, recomendou que o Brasil evite utilizar tecnologia da China durante a implantação da rede 5G.

Desde o ano passado, os EUA têm defendido a tese de que fabricantes chineses são utilizadas como instrumentos de espionagem industrial do governo de Pequim. Portanto, utilizar equipamentos fabricados por essas empresas poderia colocar em risco a privacidade de usuários de serviços de telecomunicações.


Por enquanto, os Estados Unidos não apresentaram provas dessa espionagem. As fabricantes e o governo da China negam todas as acusações.

Além de proibir que empresas americanas façam negócios com fabricantes chineses, o governo de Donald Trump, tem feito lobby em países aliados, entre eles o Brasil, para que eles adotem a mesma postura.

“Nos Estados Unidos, consideramos que a maneira correta de usar essa tecnologia é a proteção da privacidade, proteção dos dados e da informação e que essa informação não é entregue diretamente ao Partido Comunista da China”, disse Chapman.

Como alternativa às chinesas (Huawei ou ZTE), o embaixador citou empresas da Finlândia (Nokia) e Suécia (Ericsson) como alternativas, por considerar que estes países compartilham dos mesmos princípios que os Estados Unidos.

VIU ISSO?

–> Huawei pode ser banida em bancos americanos

–> Senado americano aprova lei para banir Huawei dos EUA

–> Governo dos Estados Unidos fará pente fino nas operadoras do país

Recentemente, o Brasil publicou a instrução normativa que estabelece os requisitos mínimos de segurança cibernética na implantação das redes 5G no país. No texto, não há nenhuma restrição de empresas, determinando apenas que as operadoras utilizem, pelo menos, dois fornecedores distintos em uma mesma área geográfica.

Segundo levantamento da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), atualmente, das 86 mil antenas de rádio em operação no Brasil, 70 mil foram fabricadas pela Huawei.

Com informações de CNN Brasil.

COMPARTILHAR EM:

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
4 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
Juninho

Já estou fazendo a minha parte. Troquei meu Xiaomi por um iPhone, dois Motorola por Samsung, e dei um iPhone para minha filha mais nova. Troquei um Hyundai e um JAC por um Ford e um Chevrolet, e também 3 TVs da TCL por 3 Sony.

Pode ter peça chinesa embarcada, mas não estampará a logo!

Cidade - UF
Juiz de Fora - RN
Israel A. Felipe

Os EUA precisam apresentar provas. Não acredito em uma palavra dos EUA, principalmente em ano de eleição por lá. Em 2003, o Bush afirmou veementemente que o Iraque tinha armas de destruição em massa, depois de anos, foi comprovado que era mentira. Em 2010, o Wikileaks divulgou informações secretas de como os EUA agem para interferir no mundo e como funcionários do governo estadunidense, fazem pidas e chacotas com outros países. Em 2013, Edward Snowden revelou como os EUA espionam o mundo através da NSA, por meio dois programas, o PRISM e o X-Key Score e, ainda obriga fabricantes como… Leia mais »

supertrunks

Comentário bem sensato mano 👍

Cidade - UF
Teresina
supertrunks

Deixa de ser burro, fica trocando grandes marcas por iPhone, esse conspiração dos EUA , não passa de falácia, sem prova alguma, logo, os EUA , está perdendo espaço pra china em tecnologia e fica inventando coisas do tipo.
Pois eu troco o iPhone sim, por qualquer smartphone da china, sem problema algum.

Cidade - UF
Teresina