Governo americano deve gastar US$ 1 bilhão para se livrar da Huawei

Entenda melhor o projeto de lei sugerido pela Câmara dos Deputados.

Marca Huawei
Imagem: Divulgação redes sociais

A preocupação com a Huawei é tanta que o governo dos Estados Unidos já estuda criar um fundo de US$ 1 bilhão para substituir todos os equipamentos de telecomunicações da fabricante chinesa presentes no país. O projeto de lei que autoriza foi elaborado pela Câmara dos Deputados.

Há uma união entre democratas e republicanos do Comitê de Energia e Comércio para dar prosseguimento na iniciativa, que tem o objetivo de proteger as redes do país dos adversários estrangeiros.


As principais contempladas com o valor seriam as operadoras pequenas, de até 100 mil assinantes, assim como as rurais. Pelos cálculos da Reuters, a estimativa é que 25% das empresas desse porte tenham equipamentos Huawei ou ZTE.

Por meio de uma ordem executiva, o presidente Donald Trump já havia orientado que as empresas americanas parassem de usar os equipamentos das duas fabricantes chinesas.

VIU ISSO?
Huawei inaugura laboratório 5G na Coreia do Sul
TIM começa a vender smartphones da Huawei
Oi e Claro pedem que governo não barre a Huawei

Na perspectiva do governo americano, as marcas são nocivas e praticam espionagem e ameaças à segurança de dados pelos equipamentos de telecomunicações que oferecem. Entretanto, não há provas concretas da prática.

Representantes do país, inclusive, enviam vários alertas para que nações aliadas deixem de negociar com a empresa. No Brasil, ainda não surtiu efeito já que o governo continua de portas abertas para a Huawei.

A chinesa, inclusive, esteve com todas as operadoras brasileiras nos testes do 5G.

Nos Estados Unidos, as principais teles já romperam os laços com a chinesa, mas as pequenas ainda encontram dificuldades, pois usufruem dos baixos preços operados pela Huawei e ZTE.

Com informações do StartSe

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.

Deixe um comentário

Por favor, faça login para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de