quinta-feira, 26 de abril de 2018

Cai o número de casas com telefone fixo, TV e microcomputador

O que você achou? 
Já a presença do celular aumentou nas residências do país, conforme pesquisa do IBGE.

Cai o percentual de residências que possuem telefone fixo, televisão e microcomputador no Brasil, conforme dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD-C) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo a pesquisa das características gerais dos domicílios e dos moradores, em 2017, apenas 32,1% das residências contavam com telefone fixo convencional, enquanto que em 2016 esse percentual era de 34,5%.



A região que menos utiliza o telefone fixo é a Norte, na qual apenas 10,6% das casas possuem o aparelho.

Já a região Sudeste é a que possui maior percentual de linhas telefônicas (47%). No entanto, a região teve uma redução de 50% em suas linhas, sendo a maior queda entre as regiões. 

Na região Sul, a pesquisa apontou a presença do telefone fixo em 35,8% das residências, na Centro-Oeste, o percentual é de 29,0% e na região Nordeste, de 12,6%.




Televisão


Em 2017, 96,8% dos domicílios possuíam televisão no Brasil. Houve uma pequena queda em relação à 2016, quando este percentual era 97,4%. 

Em todas as regiões, o percentual de domicílios que possuem televisão reduziu, sendo na região Norte a maior queda, de 93,9% para 92,8%.


Microcomputador


No ano passado, 44% dos domicílios possuíam microcomputador, inclusive portáteis, enquanto que em 2016 eram 46,2%. 

A região Sudeste registrou o maior percentual (52,2%), seguida das regiões Sul (51,5%); Centro-Oeste (46,2%); Nordeste (29,9%); e Norte (28,2%). 

Todas as regiões apresentaram queda nesta taxa se comparadas a 2016.

Celular


Com o telefone móvel ocorreu o inverso. O percentual de casas com o dispositivo teve um pequeno aumento. 

Em 2017, em 92,7% dos domicílios, pelo menos um morador possuía celular. No ano anterior, esse percentual era de 92,3%.

A presença de telefone celular apresentou seu menor percentual na região Norte (88,8%). No entanto, essa foi a região que mostrou um maior crescimento de residências com o dispositivo, já que em 2016 esse número era de 88,1%.

A região Nordeste também teve um percentual mais baixo de residências com celular (89,1%). 

As regiões Sudeste (93,9%), Sul (95,0%) e Centro-Oeste (96,9%) registraram percentuais superiores a 90% desse bem. 

Todas as regiões apresentaram aumento, em comparação ao ano de 2016, de presença do telefone celular. 

A pesquisa das características gerais dos domicílios e dos moradores foi realizada em 168 mil domicílios de todas as regiões do país ao longo de 2017. 

Os domicílios selecionados foram visitados por cinco trimestres consecutivos, uma vez a cada trimestre



2 comentários:

  1. Telefone fixo, microcomputador...oque e isso?
    Aqui em casa a seculos nao usamos mais telefone fixo...desktop ou notebook....apenas cel e da Claro no Prezao...viva Claro e Carlos Slim.

    ResponderExcluir
  2. Nos dias atuais PC não e mais viável, exceto casos que seja pra trabalho ou quem joga games igual eu, pois montei o meu a um tempo, se a pessoa e casual um not resolve, mais eu nunca gostei de usar celular como substituto do PC, pois fazem coisa bem diferentes, mesmo sendo parecidos, ai vai do gosto de cada um, mais celular sempre terá praticidade, principalmente pra redes sociais.

    ResponderExcluir