Aulas de como ter créditos e internet de graça se espalham na rede

Através de tutoriais escritos e em vídeo, internautas conseguem aprender métodos para aproveitar serviços ilicitamente.


Hoje em dia existem muitos sites e canais no YouTube que produzem conteúdo focado no ensino ou na venda de formas para burlar o sistema de telefonia brasileiro.

Através de tutoriais escritos e em vídeo, muitos usuários conseguem aprender meios para conseguir utilizar internet mesmo estando sem créditos, recarregar créditos sem pagar nada e ter acesso a todos os canais da TV por assinatura.

Confira com mais detalhes sobre os três principais tipos de fraudes no setor de telecomunicações:

Internet de Graça utilizando dados móveis das operadoras


De acordo com os tutoriais, utilizando alguns aplicativos que modificam configurações de internet, é possível continuar utilizando a internet de uma operadora de graça, conseguindo se aproveitar de “fragilidades” nos sistemas das prestadoras. Confira um dos vídeos:



Nos comentários do vídeo, usuários confirmam que a técnica funciona:



Aplicativos como o HTTP Injector, disponível na Google Play Store, conseguem acessar e modificar as configurações de rede, dando acesso para o uso do serviço mesmo sem franquia de dados, ativando os dados móveis do smartphone, por mais que o usuário esteja sem crédito.

Recargas grátis através de código MMI


Neste caso, os tutoriais ensinam aos usuários como eles podem utilizar códigos MMI (USSD). Mas o que é código MMI? É um tipo de protocolo usado para conectar seu chip de celular aos computadores de sua operadora. Confira um dos tutoriais:

Como é possível ver no vídeo acima, através desses códigos é possível deixar a rede das operadoras vulnerável e se aproveitar disso para recarregar créditos de uma linha sem ter de gastar nada.

No fim do vídeo, o narrador inclusive recomenda aos usuários não utilizarem sempre o método e nem colocar valores de recarga muito altos, já que a ação é ilegal.

SKY Gato: TV a cabo de graça

Esse método consiste na compra de decodificadores e outros equipamentos que destravam um maior número de canais de TV paga do que o plano contratado em operadoras de TV por assinatura. O SKY Gato criou um verdadeiro “mercado paralelo” no país.


Existem inclusive páginas no Facebook para venda dos decodificadores, como esta:



O proprietário da página vende os aparelhos por preços entre R$ 400 e R$ 700 e oferece opção de pagamento pelo PagSeguro aos usuários.

Muitos usuários também compram decodificadores originais de operadoras e usam cartões hackeados que servem para abrir o sinal da maioria dos canais oferecidos pela companhia.


Um dos principais problemas desse tipo de serviço é que os usuários do SKY Gato têm de realizar uma atualização periódica do decodificador, já que as operadoras costumam trocar os códigos dos canais para evitar o acesso de forma clandestina.

Posicionamento das operadoras

A Oi informou que utiliza ferramentas de controle para evitar ações ilegais e tem um rígido monitoramento para coibir possíveis fraudes.

A Nextel destacou que vem reduzindo os casos de fraudes através de uma parceria com a empresa Clear Sale. Desde que a parceria foi firmada em novembro de 2015, a operadora conseguiu reduzir em 88,68% os indicadores ligados às fraudes na operadora. A Clear Sale é responsável por identificar as fraudes antes que elas gerem prejuízos expressivos para a Nextel.

A Vivo afirmou que as informações contidas nos vídeos são enganosas e destacou que revisa constantemente suas políticas e procedimentos de segurança. A companhia ainda ressalta que qualquer tentativa de fraude, seja de seus colaboradores ou de terceiros, será punida de acordo com a lei.

A TIM afirmou que busca orientar seus clientes e oferece uma página exclusiva com dicas de segurança para que os usuários evitem cair nos golpes.

O SindiTelebrasil (Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal) afirmou que não há uma estimativa de quantos usuários conseguem usar serviços de telecomunicações clandestinamente e destacou que as próprias operadoras dispõem de sistemas anti-fraudes que buscam garantir o bom funcionamento das redes e operação dos serviços para garantir a segurança não só delas, como também dos clientes.


A Algar Telecom esclareceu que não pode dar declarações sobre suas operações e negócios por conta do período de silêncio estabelecido pela regulamentação. A Claro também foi procurada pela nossa reportagem, mas não enviou um posicionamento oficial sobre o assunto.

Punições

Como bem sabemos, qualquer meio utilizado para burlar as regras de contratação dos serviços de telecomunicações é ilegal. A resolução 477/2007 da Anatel determina que os usuários devem cumprir com as obrigações de contrato e no caso de serem pegos cometendo práticas ilícitas, estes devem indenizar as prestadoras pelos prejuízos causados.

Em relação à punição por conta do incentivo à pirataria na TV paga, a ABTA (Associação Brasileira de TV por Assinatura) afirmou que vasculha as redes sociais e as páginas da internet em busca de tutoriais que incentivem as práticas e destacou que irá processar os usuários responsáveis pelos conteúdos.

LEIA TAMBÉM:

Acompanhar esta matéria
Notificação de
30 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários