quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Receitas caem e prejuízo da Nextel aumenta no segundo trimestre

O que você achou? 
 Balanço do 2° trimestre mostra a queda de receitas da Nextel, que aposta em novas ofertas para voltar a competir em igualdade no mercado.


As receitas da Nextel Brasil caíram neste segundo trimestre, muito por conta do lançamento de novas ofertas da concorrência no período. O balanço financeiro divulgado pela norte-americana NII Holdings, controladora da empresa, nesta quarta-feira, 9, destaca o lançamento da nova oferta de minutos ilimitados em planos pós-pagos para voltar a competir em nível de igualdade com as outras operadoras.

Neste segundo trimestre de 2017, a receita operacional da Nextel foi de US$ 225,1 milhões, 9,67% mais baixo se comparada com o mesmo período do ano passado. Totalizando as receitas operacionais de serviço, a empresa arrecadou US$ 243,1 milhões, registrando uma queda de 9,46%.

As receitas de handsets e acessórios também recuaram em 18,03%, com um total de US$ 5 milhões no trimestre, mas no geral teve um aumento de 4,17% no primeiro semestre, fechando em US$ 12,5 milhões. O total do semestre de receitas operacionais foi estável, com uma arrecadação de US$ 463,6 milhões.

O prejuízo operacional da Nextel no trimestre teve um aumento de 139,24%, ficando em US$ 68,9 milhões. No semestre, o prejuízo foi de US$ 148,8 milhões, aumento de cerca de 79,71%.

O prejuízo líquido também subiu, de US$ 9,9 milhões no segundo trimestre do ano passado para US$ 84,8 milhões neste ano. No semestre, o valor é ainda mais assustador, cerca de US$ 177,5 milhões, alta de 281,72%.

A base de clientes da Nextel sofreu uma redução de 10,84%, terminando junho com 3,428 milhões de acessos, a maioria destes em redes 3G e 4G.

A base de rádio, iDEN, caiu pela metade no período, fechando o semestre com 563,3 mil acessos. A companhia também afirmou que houve, nesse período, 19,5 mil migrações do iDEN para novas tecnologias. A receita média por usuário (ARPU) está estável, em US$ 19 (R$ 60 em conversão direta).

A operadora também anunciou que pretende estender os acordos de empréstimos com bancos locais até o dia 31 de outubro deste ano, período onde deve estar livre de pagar amortizações. A Nextel também tem que pagar uma parcela da linha de crédito para equipamentos neste mês.

LEIA TAMBÉM:


Nenhum comentário:

Postar um comentário