17/07/2024

Taxação de compras online abre caminho para acordo entre AliExpress e Magazine Luiza

De acordo com as empresas, o acordo, em formato inédito para as duas plataformas, começou a ser negociado pouco mais de sete meses atrás.

A AliExpress e o Magazine Luiza vão atuar em parceria no Brasil em um acordo estratégico de vendas de produtos. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (24) diretamente da sede da empresa do Grupo Alibaba, em Hangzhou, na China, e deverá estar em operação ao longo do terceiro trimestre deste ano.

Com o acordo, a Aliexpress venderá itens de sua linha Choice, serviço de compras premium que oferece uma curadoria de produtos com custo-benefício e velocidade de entrega, na plataforma da varejista, enquanto o Magalu venderá no app chinês seus produtos de estoque próprio (1P). Entre as categorias contempladas estão produtos de beleza, para bebês, computer office, consumer electronics e home improvement.

Fred Trajano, CEO do Magalu, durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira, conta que “São produtos das mais diversas categorias do AliExpress absolutamente complementares ao sortimento do Magalu que estará na nossa plataforma, acelerando a estratégia do Magalu na diversificação de categorias e de aumento na frequência de compras”.

De acordo com as empresas, o acordo, em formato inédito para as duas plataformas, começou a ser negociado pouco mais de sete meses atrás. “A negociação acelerou no último mês, após a nova taxa aprovada no Congresso. Ficamos muito confortáveis de assinar o acordo e fazer o anúncio dessa parceria”, disse Fred Trajano, CEO do Magalu, durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira.

“As duas plataformas têm no Brasil, juntas, mais de 700 milhões de visitas por mês. São 60 milhões de clientes ativos nos dois canais. Com sortimentos complementares, a chance de conversão (de vendas) nos dois canais é muito alta. Amplia nossa força de compra”, completa.

O executivo frisou que a nova taxação para compras até US$ 50 abriu caminho para acordo assinado na China. “Eu achava que faltava isonomia (tributária). E com a taxa aprovada agora, igualou muito. É um negócio mundial. Impossível não conviver com ele e a globalização dos mercados”, destacou.

De acordo com Trajano, aqueles produtos vindos da China vendidos pelo AliExpress no Magalu estarão em conformidade com as regras do Remessa Conforme e será cobrada a taxa de 20% nas mercadorias internacionais compradas de até US$ 50.

As ações da Magazine Luiza sobem com força após a empresa anunciar uma parceria com a AliExpress. Por volta das 10h20, a alta chegava a 11%. Na máxima do dia, as ações operavam em alta de 13,02%.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários