12/04/2024

BNDES e MCom anunciam fundo milionário para provedores de internet

Segundo o Ministério das Comunicações, a estimativa é de que 500 prestadoras de pequeno porte (PPPs) façam uso do recurso.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Ministério das Comunicações (MCom), que participa do Conselho Gestor do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel), anunciaram um aporte de cerca de R$ 100 milhões para financiar o avanço de pequenos provedores de internet de todo o pais.

O montante vem da subscrição de R$ 80 milhões do Funttel aprovado pelo BNDES, por meio por meio de aquisição de direitos creditórios (FIDC) originados pela DPR Telecomunicações. Os outros R$ 20 milhões serão disponibilizados pela própria empresa. A estimativa é de que 500 PPPs acessem os recursos, de acordo com o MCom.

A DPR Telecomunicações é provedora de soluções para provedores de internet banda larga de fibra ótica e poderá vender seus produtos desenvolvidos e produzidos no país com taxas e prazos competitivos aos seus clientes, prestadoras de pequeno porte (PPP) de serviços de telecomunicações – majoritariamente, micros, pequenas e médias empresas (MPMEs).

Em nota, o ministro Juscelino Filho, falou que a criação desse fundo de investimento amplia e facilita a concessão de crédito para a aquisição de equipamentos de telecomunicações por provedores de banda larga.

“[…] Assim, o Ministério das Comunicações, por meio do Funttel, apoia o fabricante e os provedores nacionais, promove a geração de empregos e possibilita a expansão da conectividade para a população”, ressalta o ministro das Comunicações.

Além de promover a inclusão digital e o fortalecimento da indústria nacional de equipamentos intensivos em tecnologia, a operação possibilita a manutenção e modernização da rede de banda larga já existente. Serão beneficiados também regiões como Norte e Nordeste, uma vez que a iniciativa possibilita a expansão em regiões com menor densidade de penetração de banda larga, como é o caso das suas regiões citadas.

O diretor de Desenvolvimento Produtivo, Inovação e Comércio Exterior do BNDES, José Luis Gordon, comenta que “Por meio da aquisição de direitos creditórios, o BNDES encontra mais um caminho para que o crédito chegue com condições atraentes para as pequenas empresas que compõem a cadeia de fornecimento da grande indústria brasileira. Em setores estratégicos como o de telecomunicações, isso é fundamental”.

Para que o custo atrativo possa chegar aos clientes da DPR, em especial empresas de menor porte, que costumam ter dificuldades em obter crédito, a taxa de juros a ser praticada em cada Direito Creditório adquirido pelo Fundo será de TR + 9,9% a.a.- inferior a taxa Selic atual (13,75%).

“Depois de passarmos por um rigoroso critério de avaliação, isso nos permitirá vender nossos produtos em condições de juros e prazos mais favoráveis para os clientes. Essa é mais uma prova da nossa missão em promover a inclusão digital no Brasil por meio de ações que impulsionem o negócio do provedor de internet”, diz Luis Carlos Vicente, fundador e CEO da DPR.

ViaMCom
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários