21/05/2024

Empresa de Donald Trump planeja lançar um serviço de streaming

De acordo com a companhia, o projeto será implementado em 3 fases, que culminarão na criação de um aplicativo para televisão da Truth Social.

Nesta terça-feira (16), a Trump Media & Technology Group (TMTG), empresa de comunicação de Donald Trump, anunciou planos para lançar um serviço de streaming ao vivo. A TMTG é proprietária da Truth Social, a rede social do ex-presidente norte-americano voltada para o público conservador norte-americano.

Donald Trump (Foto: Reprodução/YouTube)

De acordo com a corporação, o projeto será implementado em três fases, que culminarão na criação de um aplicativo para televisão da Truth Social. O serviço de streaming ainda não tem nome, e será desenhando para os dispositivos Android, iOS e navegadores, além de televisores inteligentes. Ela vai funcionar tanto de forma individual quanto embutida na rede social.

Devin Nunes, CEO do TMTG, promete levar experiência independente das gigantes de tecnologia, com interface amigável e tecnologia de ponta “para otimizar velocidade, desempenho e segurança”.

“Estamos entusiasmados em avançar com a próxima grande fase do Truth Social. Com o nosso conteúdo de streaming, pretendemos fornecer um local permanente para notícias e entretenimento de alta qualidade que enfrentam discriminação por parte de outros canais e serviços de entrega de conteúdo, afirma o CEO.

A plataforma de streaming envolverá conteúdos focados em notícias, religião e filmes “para a família”, com um catálogo fixo de produções variadas e transmissões ao vivo. “Há muito conteúdo excelente que simplesmente não encontra uma audiência por razões injustas, e queremos informar a esses criadores que em breve terão uma plataforma garantida onde não serão cancelados”, diz Nunes.

De acordo com o comunicado oficial, ainda sem citar nomes, o serviço vai resgatar produções “que foram canceladas, estão em risco de serem descontinuadas ou estão sendo suprimidas por outras plataformas e serviços”.

O anúncio da empresa coincidiu com o segundo dia do histórico julgamento criminal que Donald Trump enfrenta em um tribunal de Nova York, o primeiro desse tipo contra um ex-presidente dos Estados Unidos. O ex-presidente é acusado de falsificar documentos para ocultar pagamentos para comprar o silêncio de uma ex-atriz pornô durante a campanha de 2016.

A plataforma provavelmente será um instrumento de campanha de Trump, que deseja retornar à Casa Branca nas eleições norte-americanas de 2024 contra o rival e atual presidente Joe Biden, na votação marcada para novembro.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários