05/04/2024

Intel diz acreditar no potencial do Brasil em relação ao crescimento da IA

Executivos da Intel falaram sobre o potencial do Brasil diante do desenvolvimento digital em relação a IA - Inteligência Artificial.

Carlos Augusto Buarque, diretor de Marketing da Intel Brasil, acredita que o Brasil tem uma grande oportunidade de aproveitar o valor gerado pela transformação digital impulsionada pela Inteligência Artificial (IA), que deve se acelerar a partir de 2025.

Ele prevê um crescimento significativo da incorporação dessa tecnologia na vida cotidiana, resultando em um aumento no PIB global de cerca de 18 trilhões de dólares até 2035.

“Estamos só começando, mas a partir de 2025, veremos um crescimento mais radical da entrada desse tipo de de tecnologia no nosso dia a dia, movimento que vai trazer um crescimento até 2035 do PIB global da ordem de 18 trilhões de dólares”.

Para o executivo o Brasil está bem posicionado no cenário tecnológico devido a vários fatores positivos: uma grande comunidade de desenvolvedores de software de código aberto, proximidade com o mercado dos EUA, um mercado interno robusto e investimentos de fornecedores especializados no ambiente brasileiro. Prevê-se que as novas aplicações de Inteligência Artificial ainda estão por vir e prometem trazer um valor significativo para o país.

Segundo Roberto Correa, especialista técnico da Intel Brasil, o país é agora a quarta maior comunidade de desenvolvedores no GitHub, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, Índia e China. Além disso, o Brasil liderou o crescimento de desenvolvedores na América Latina no último ano.

Computação de borda

A Intel está expandindo suas soluções de edge computing, ou computação de borda, para lidar com o aumento massivo de dados gerados pelas redes de telecomunicações virtualizadas, à medida que a inteligência artificial avança nesse setor.

A companhia ançou uma nova plataforma de edge computing que aumenta a capacidade de processamento das redes virtualizadas. Segundo Correa, no Brasil, todas as principais operadoras, incluindo as menores, já utilizam funções de rede virtualizadas.

A nova plataforma aborda o desenvolvimento, implantação e operação pós-implantação, tornando o ambiente mais ágil e seguro ao longo da cadeia de desenvolvimento e manutenção.

“Essa nova plataforma de edge computing aborda as três partes do processo: o desenvolvimento, a implantação e a operação pós implantação e ajuda a cadeia toda de desenvolvimento e manutenção a manter esse ambiente mais ágil e mais seguro ao longo da cadeia”.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários