29/02/2024

MCom vai levar internet para as escolas públicas através do PAC

Promessa do MCom é levar internet para todas as escolas públicas de ensino básico por meio do novo Programa de Aceleração.

O Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) traz uma iniciativa para a melhoria da conectividade no Brasil. Com esse plano, mais de 138 mil escolas de ensino básico e 24 mil unidades básicas de saúde que atendem as comunidades terão acesso à internet até o final de 2026.

Escola pública

O Ministério das Comunicações (MCom) será o responsável por um investimento total de R$ 6,5 bilhões em infraestrutura, com o objetivo de proporcionar uma conexão de qualidade, utilizando as melhores tecnologias disponíveis e velocidades adequadas, para os estabelecimentos públicos localizados em todo o país.

O Ministro das Comunicações, Juscelino Filho, expressa a importância do Novo PAC como uma conquista significativa para a população brasileira. O ministério se compromete a realizar investimentos substanciais para assegurar que todas as escolas públicas do país tenham acesso a uma conexão de internet de alta qualidade.

“O Novo PAC é uma grande vitória para o povo brasileiro. O Ministério das Comunicações vai investir pesado para que todas as escolas públicas desse país tenham uma internet de altíssima qualidade. Todas as UBSs que estão próximas a essas escolas também serão conectadas, para que os cidadãos possam ter acesso a telemedicina e a um serviço público de melhor qualidade. Vamos promover inclusão digital e social de norte a sul do Brasil”, destaca o ministro Juscelino Filho.

No que tange às escolas, a proposta é fornecer uma conexão de alta velocidade, acompanhada de sinal Wi-Fi em todos os espaços da instituição. Isso permitirá a utilização pedagógica de diversos conteúdos, aplicativos e jogos didáticos disponíveis na rede. Mesmo as escolas que ainda não possuem acesso à energia elétrica serão atendidas, uma vez que serão equipadas com geradores fotovoltaicos capazes de transformar a energia solar em eletricidade.

Este projeto de conectividade visa melhorar o acesso à tecnologia e à internet em escolas e unidades de saúde em todo o país. Ele tem como objetivo fornecer uma explicação e informações claras sobre como isso será alcançado e quais são os benefícios associados a ele.

Conectividade nas Escolas:

  • Todas as escolas serão equipadas com internet de alta velocidade e redes Wi-Fi em todos os espaços escolares. Isso significa que alunos, professores e funcionários terão acesso à internet rápida em salas de aula, bibliotecas, áreas comuns e outros espaços na escola.
  • Essa conectividade permitirá o uso educacional de conteúdos online, aplicativos e jogos didáticos, enriquecendo a experiência de ensino e aprendizado.
  • Escolas que atualmente não têm acesso à energia elétrica receberão geradores fotovoltaicos que convertem a luz solar em energia elétrica, garantindo que todas as escolas tenham acesso à conectividade, independentemente da infraestrutura elétrica disponível.

Cobertura Regional:

  • O projeto está priorizando a região Nordeste, que receberá internet de qualidade em 49.953 escolas, abrangendo áreas urbanas e rurais.
  • Em seguida, estão as regiões Sudeste, Norte, Sul e Centro-Oeste, que também serão beneficiadas, com 40.365, 20.366, 19.826 e 7.845 escolas, respectivamente.
  • Isso significa que todas as regiões do país verão melhorias substanciais em termos de conectividade escolar, reduzindo a desigualdade no acesso à tecnologia educacional.

Conectividade nas Unidades Básicas de Saúde:

  • Além das escolas, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) próximas a essas escolas também serão conectadas à internet de alta velocidade. Isso tornará a administração desses serviços de saúde mais eficiente.
  • A conectividade nas UBSs possibilitará a expansão do uso de prontuários eletrônicos, facilitando o armazenamento e acesso a informações médicas dos pacientes.
  • Além disso, fortalecerá o Programa Nacional de Telessaúde, permitindo que pacientes consultem especialistas mesmo que não estejam na mesma cidade. Isso é especialmente valioso para áreas remotas, onde o acesso a especialistas pode ser limitado.

dos os cidadãos.

Fonte de recursos

Apenas para estabelecer a interligação nas instituições escolares, o montante a ser aportado será de R$ 6,4 bilhões. Os recursos provêm de quatro diferentes fontes: Leilão do espectro 5G, Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (FUST), Programa de Inovação Educação Conectada (PIEC) e Lei 14.172 de 2021. No que diz respeito à interligação das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), o valor a ser investido alcançará a marca de R$ 100 milhões, sendo proveniente do Orçamento Geral da União sob a administração do Ministério da Saúde.

Globalmente, o componente de inserção digital e interconexão do Novo Plano de Aceleração do Crescimento (Novo PAC) planeja alocar R$ 27,9 bilhões em iniciativas como: interconexão em instituições educacionais e estabelecimentos de saúde; expansão da tecnologia 4G e introdução da infraestrutura 5G; construção de redes de informações; serviços postais; e transmissão televisiva digital.

ViaMCom
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários