28/02/2024

Vivo registra lucro de R$ 1,126 bilhão no 4T22

Embora tenha saldo positivo, a operadora registrou queda de 57,2% em relação ao mesmo período de 2021, que teve lucro de R$ 2.628 bilhões.

Na noite desta quarta-feira (15), a Telefônica Brasil (Vivo) divulgou seu resultado financeiro referentes ao quarto trimestre de 2022, onde reportou um lucro líquido de R$ 1.126 bilhão, um recuo de 57,2% em relação ao mesmo período de 2021, que teve lucro de R$ 2.628 bilhões. Segundo a operadora, a variação do lucro é resultado, principalmente, pelo “reconhecimento de crédito no 4T21 de crédito fiscal no valor de R$ 1.408 bilhão”.

A receita operacional líquida no período foi de R$ 12.659 bilhões, crescimento de 10,1% no comparativo anual, tendo como receita móvel R$ 8.899 bilhões, e fixa com R$ 2.872 bilhões. O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) foi de R$ 5,234 bilhões, um avanço de 6,1% frente ao 4T21.

O serviço móvel teve crescimento de 13,4% em relação ao mesmo período de 2021, onde reportou R$ 7.847 bilhões. A Vivo explica que o crescimento no segmento foi impulsionado pela receita do pós-pago, devido ao aumento da base de clientes, reajuste anuais de preço e chun em níveis mínimos históricos.

A receita de pré-pago foi de R$ 1.533 bilhão, aumento de 15,0% em relação ao trimestre anterior, enquanto que o pós-pago teve receita de R$ 6.381 bilhões, aumento de 13,2%.

No último trimestre, a operadora adicionou 1.220 mil acessos pós-pago, embora tenha desconectado 184 mil considerado inativos nos critérios da operadora proveniente da aquisição da Oi Móvel, adicionado também 1.404 mil que vieram tanto da migração de pré-pago para controle, quanto pelo saldo positivo de portabilidade de outras operadoras.

A receita líquida fixa cresceu 2,9%, saindo de 3.654 bilhões no quarto trimestre de 2021 para R$ 3.761 bilhões no período de 2022. A receita de FTTX foi de R$ 1.499, crescendo 9,8% no período, enquanto que o de FTTH foi de R$ 1.397 bilhões, aumento de 18,8% em relação ao período anterior. O IPTV foi mais fraco, com 362 milhões, com um crescimento tímido de 2,1%.

O Capex da Vivo no primeiro foi de R$ 2,489 bilhões, aumento de 6,4% na comparação ano a ano. Em 31 de dezembro de 2022, a dívida líquida da companhia era de R$ 16,875 bilhões contra R$ 10,443 bilhões da mesma etapa de 2021. O fluxo de caixa operacional totalizou R$ 2,746 bilhões no 4T22, um aumento de 5,9% na comparação com o 4T21.

Projeção de investimentos

A Vivo também anunciou projeção de investimento para este ano na faixa de até R$ 9 bilhões, ante R$ 12,4 bilhões aplicados em 2022. Além disso, ainda informou que pedirá autorização a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para reduzir seu capital em até R$ 5 bilhões, operação que poderá ocorrer “mediante restituição de recursos aos seus acionistas”.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários