21/04/2024

MWC 2023: Operadoras e big techs devem dividir custos de conectividade

Assunto sobre divisão nos custos da conectividade pelo mundo foi assunto na abertura do MWC 2023 que está acontecendo na Espanha.

A abertura do Mobile World Congress 2023 contou com uma discussão pertinente ao setor: empresas de tecnologia e operadoras devem dividir as contas e as metas da conectividade. A intenção é que esses dois nichos de mercado, mas especificamente as companhias, possam trabalhar mais juntas e realmente dividam as obrigações. 

Conectividade

O MWC – Mobile World Congress 2023 começou nesta segunda-feira, 27, e vai até o dia 02 de março. O evento acontece em Barcelona, na Espanha, e reúne as grandes marcas do setor de telefonia móvel para falar sobre novas tecnologias e fazer lançamentos e divulgar tendências. 

Sobre a parceria entre empresas de tecnologia e operadoras, a CEO da Orange, Cristel Heydemann, falou do ponto de vista europeu da situação. Segundo ela, o futuro da sociedade tecnológica precisa ser feito por todos. 

Para a executiva há uma contradição que existam metas de conectividade e digitalização que caiam somente sobre as teles e por causa disso a sustentabilidade dos negócios esteja em risco. 

“Estamos comprometidos, mas esse framework precisa ser entre telcons e grandes geradores de tráfego. Então, demos boas vindas à consulta pública europeia […] Não queremos mudar a neutralidade de rede e princípios na Europa, nem queremos um novo mecanismo de impostos. Achamos que as contribuições vão permitir que a gente invista privativamente, sem precisar de dinheiro público.”

No continente europeu serão investidos 600 milhões de euros durante os próximos dez anos, enquanto o mercado de consumo exige cada vez mais capacidade e investidores pedem mais margens. Por isso, para a CEO da Orange, restam as parcerias. 

 “Acho realmente que as operadoras europeias têm de trabalhar com abordagem aberta e sustentável. Colaboração já é chave, e agora vai virar um pilar realmente fundamental”

A organização do Mobile World Congress tem interesse nessa pauta 

A Associação Global da Indústria Móvel – GSMA, é a organizadora do evento em Barcelona. Ela busca defender mais colaboração entre as empresas, não só em investimento, mas em metas de conectividade. E foi sobre isso que Heydemann falou. 

O diretor da GSMA, Mats Granryd, colaborou com o discurso feito dizendo que o investimento será de US $1,5 trilhão de 2023 a 2030, e 90% para o 5G. E nisso pediu que o espectro seja posto em um preço mais acessível, com a harmonização na faixa de 3,5 GHz e com a banda de 6 GHz, que segundo ele é crucial para o crescimento da rede móvel de quinta geração.

1 COMENTÁRIO

Se inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais antigo
Mais recente Mais Votados
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários