Meta deseja o metaverso aberto em todos os dispositivos

Óculos de realidade virtual devem chegar aos Estados Unidos no final deste ano. A ideia é expandir o metaverso em vários aparelhos.

Ometaverso é definido como uma espécie de mundo alternativo e virtual, por onde é possível trazer para esfera online, a realidade do mundo físico e real. A proposta começou com Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, que criou a nova realidade visando o futuro da internet. Seu entusiasmo com o mundo alternativo foi tão grande que o CEO da empresa trocou o nome da rede social para Meta.

O que começou na ficção e se expandiu nas telonas e páginas de livros – como a exemplo de Matrix, chegou às empresas, onde já é possível investir em um novo mercado com criptomoedas. A sua ideia é trazer as pessoas para dentro de um mundo virtual fazendo com que as barreiras entre o mundo real e a internet sejam quebradas. Dessa forma é possível tornar os indivíduos participantes com a criação de um avatar. Logo, tornam-se uma extensão de si no meio virtual e não apenas observadores.

A proposta apresentada aqui é que o ambiente passe a operacionalizar em diversos aparelhos. Nesta quarta-feira, 29, em um evento de telecomunicações e conectividade, Lester Garcia, que fica à frente das Políticas Públicas e Conectividade da América Latina, expressou sua intenção com o ambiente imersivo.

O intuito é de que toda relação humana entre empresas e clientes, por exemplo, seja simplificada mediante a possibilidade da nova interação. A tecnologia irá permitir que as inter-relações sejam mais eficazes e rápidas no meio digital, evitando deslocamentos de ambos, o que torna a ação mais viável, barata e sem barreiras de idiomas. Essa ação acarreta também na redução de custos.

Garcia informa que os óculos de realidade aumentada deverão ser lançados nos Estados Unidos ainda este ano, provavelmente no final do segundo semestre. A novidade será um pedaço do que está por vir em relação ao metaverso e a conectividade. No Brasil ainda não há previsão de quando chegará ao mercado os óculos de realidade aumentada.

As tecnologias complementares são um fator importante e determinante para o desenvolvimento e manutenção da web 3.0. E o Brasil é o país com mais espectro disponível para os serviços móveis na América Latina.

Caio Bezerra
Caio Bezerra
Jornalista, redator, social media e fotógrafo. Graduando da UMESP (Universidade Metodista de São Paulo).
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x