InícioEconomia e NegóciosGoogle e Facebook são multados na França por causa de ‘cookies’

Google e Facebook são multados na França por causa de ‘cookies’

Rede social foi multada em 60 milhões de euros, enquanto que o grande buscador recebeu a multa de € 150 milhões; entenda o caso.

Nesta quinta-feira (06), a agência francesa de privacidade de dados CNIL anunciou que multou o Google e o Facebook, por causa de “cookies”, rastreadores online para fins publicitários, com o argumento de que ambas plataformas estavam dificultando a recusa dos usuários no uso do recurso. O buscador recebeu uma multa de 150 milhões de euros (R$ 968,5 milhões, na cotação atual) e a rede social 60 milhões de euros (R$ 387 milhões).

Segundo a Comissão Nacional de Informática e Liberdade (CNIL), os sites do Google, Facebook e YouTube não estão permitindo a recusa dos usuários na mesma facilidade da permissão. A CNIL afirma que “constatou que os sites facebook.com, google.fr e youtube.com não permitem rejeitar os cookies com a mesma facilidade“.

“Os sites facebook.com, google.fr e youtube.com oferecem um botão que permite aceitar imediatamente os ‘cookies’, enquanto que, para rejeitá-los totalmente, são necessários vários cliques”, explica o comunicado.

Os chamados “cookies” são pequenos arquivos que, quando permitidos, conseguem rastrear quais os sites visitados pelo usuário, que depois são expostos a mensagens publicitárias que são consideradas personalizadas.

Com isso, o Facebook e o Google (dono do YouTube) têm o prazo de três meses para corrigir o “problema” que prejudica o usuário, sob a pena de pagar 100 mil euros adicionais para cada dia de atraso, de acordo com a CNIL.


LEIA TAMBÉM:

–> Rússia multa Google e Meta por não retirarem conteúdos ‘proibidos’ de suas redes

–> Meta (Facebook) é a pior empresa de 2021, segundo pesquisa

–> Facebook (Meta) é multado em mais de R$ 11 milhões pelo Procon-SP

Por meio de nota enviada à agência AFP, o buscador garantiu que irá alterar sua política após a aplicação da multa. “Nos comprometemos a aplicar novas mudanças, assim como a trabalhar ativamente com a CNIL em resposta à sua decisão, de acordo com a diretriz [europeia] ePrivacy“, dizia a nota.

Quanto ao Facebook, em resposta ao G1, a empresa afirmou que está “analisando a decisão da agência reguladora e seguimos comprometidos em trabalhar com as autoridades“.

“Nossas opções sobre consentimento de cookies garantem que as pessoas tenham mais controle sobre seus dados, incluindo um novo menu de configurações no Facebook e no Instagram em que os usuários podem rever e gerenciar suas decisões a qualquer momento”, completou.

SourceG1
Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários