Aeronaves da Embraer terão sistema de internet via satélite da Viasat

Mesmo sendo opcional, os equipamentos de recepção da internet satelital virão instalados de fábrica nos jatos; saiba detalhes.

A Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) firmou acordo com a Viasat para fornecer na linha de aeronaves bimotores E2 o sistema de conectividade satelital (IFC sigla do inglês In-Flight Connectivity). Dessa forma, a Viasat é o primeiro fornecedor de IFC de banda Ka a ter uma solução de ajuste de linha na família Embraer E2.

Os equipamentos necessários para a recepção do sinal virão nos jatos desde de fábrica, mas o acesso a internet na parte interna das aeronaves será opcional, sendo escolha do comprador optar ou não pelo serviço.

Ao implementar o sistema da Viasat em suas aeronaves, além de oferecer uma experiência avançada IFC para tripulantes e passageiros, a Embraer também evitará o tempo de inatividade oneroso associado a retirada da aeronave de serviço para retrofits (processo de modernização de equipamento ultrapassado) de pós-produção da IFC.

Com o sistema de conectividade satelital, será possível captar sinais de banda Ka dos satélites utilizados pela Viasat nos aviões, onde os ocupantes dos jatos poderão usar a internet banda larga através do wi-fi de bordo.

LEIA TAMBÉM:

–> Coalizão do setor de aeronaves nos EUA solicita o atraso do lançamento do 5G

–> EUA sanciona lei que prevê investimento na infraestrutura de banda larga

–> Anatel e Anac monitoram faixa em torno de 4GHz para segurança de voos

Vale lembrar que a Viasat é a responsável pela exploração comercial do satélite brasileiro SGDC, que pertence à Telebras. A tecnologia será utilizada nos modelos E2 pela companhia aérea Azul Linhas Aéreas.

A linha E2 também é utilizada pela estadunidense Delta Airlines, pela britânica Helvetic Airways e pela holandesa KLM. De acordo com a Embraer, até o primeiro trimestre de 2021, já contabilizava 175 pedidos de aeronaves em carteira.

Nesse modelo, a empresa também já vendeu 30 aviões à companhia Porter Airlines, do Canadá, por um valor de US$ 5,82 bilhões, que deverão ser usados em viagens entre cidades do Canadá, México, Estados Unidos e Caribe.

Cleane Lima
Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore. E-mail para contato: [email protected]
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x