Pix bate recorde e registra 40 milhões de transferências em apenas um dia

Novo sistema de pagamento já supera todas as operações realizadas por meio de TED, DOC e cheque.

Pix bate recorde e registra 40 milhões de transferência em apenas um dia

Na última sexta-feira, 6 de agosto, na antevéspera do Dia dos Pais, o Pix registrou 40,5 milhões de transações. No dia, a plataforma movimentou R$ 24,8 bilhões.

Desde que o novo sistema de pagamentos foi lançado, em novembro de 2020, esta é a primeira vez que o volume é alcançado em apenas um dia. O recorde é creditado à recuperação das vendas do comércio nos dias que antecederam a data comemorativa.

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) projetou um faturamento de R$ 6,03 bilhões com a data neste ano. Caso confirmado, este será o melhor resultado desde 2018.

Segundo a entidade, o Dia dos Pais é o quarto mais importante no calendário do comércio varejista, ficando atrás do Dia das Mães, Natal e Dia dos Namorados.

VEJA TAMBÉM:

–> Vivo oferece bônus de internet na recarga via Pix

–> Senado quer isentar cobrança de tarifas no Pix para fins de doação

–> Bancos vão cobrar pelo uso do Pix no mercado corporativo

Recentemente, o Banco Central já havia anunciado que a modalidade de pagamento perdia apenas para os cartões na preferência dos brasileiros. No primeiro trimestre de 2021, o Pix foi usado em 869,6 milhões de pagamentos, superando as transações realizadas por meio de TED, DOC e cheque – que no mesmo período somou 475,9 milhões de transações no período.

O Pix é um sistema de transferência desenvolvido pelo Banco Central que possibilita que o dinheiro seja transferido quase instantaneamente, sem taxas e que funciona em qualquer dia e horário.

No final de julho, o Banco Central também divulgou a iniciativa de oferecer um serviço de iniciação de pagamento para o Pix, que busca agilizar o procedimento de pagamento. Atualmente, o usuário precisa abrir o aplicativo do banco, escolher a opção Pix, fazer a leitura do QR Code e então autenticar a transação. A ideia é reduzir essas etapas para fortalecer o uso do sistema.

“Com a chegada do serviço de iniciação de pagamento, a experiência em algumas situações passará a ser mais ágil, sendo o usuário direcionado diretamente para a tela de autenticação no app do seu banco. O processo é muito mais fluido e com menos etapas para finalizar um pagamento, mantendo o alto nível de segurança. Esperamos que a medida seja de grande valor, em especial no âmbito do comércio eletrônico”, declarou Carlos Brandt, chefe-adjunto do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro (Decem), do Banco Central.

Com informações de Poder 360 e Banco Central.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
4 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários