InícioTelefonia CelularAnatel aprova compartilhamento de rede entre Vivo e Claro

Anatel aprova compartilhamento de rede entre Vivo e Claro

Operadoras vão partilhar infraestrutura, incluindo frequências e torres.

Anatel aprova compartilhamento de rede entre Vivo e Claro

Nesta quinta-feira, 19 de agosto, o Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou por unanimidade o compartilhamento de espectro (RAN Sharing) entre as operadoras Vivo e Claro. A proposta já tinha sido aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), em maio.

O acordo consiste no uso de espectros 3G da Vivo pela Claro, além de 81 estações radiobase, a maioria localizadas em cidades com menos de 30 mil habitantes ou em rodovias.

O acordo é unilateral, ou seja, somente a Vivo vai compartilhar a infraestrutura e não vice-versa. Ele é diferente, por exemplo, do acordo firmado entre a TIM e a Vivo, que envolve mais torres, cidades e frequências, incluindo o desligamento de infraestruturas.

O projeto entre a Vivo e a Claro tem o objetivo de otimizar a rede para atender locais com menor densidade populacional. A localização dessas infraestruturas, assim como os valores que a Claro irá pagar para a Vivo não foram revelados. O compartilhamento não prevê o desligamento de torres existentes.

VEJA TAMBÉM:

–> Anatel diz ‘não’ ao pedido da Algar Telecom para acompanhar a venda da Oi Móvel

–> Mesmo sob pressão, TCU adia aprovação do edital do 5G

–> Anatel abre arbitragem para rever contrato de concessão da Oi

No Cade, a Algar Telecom tentou impedir o acordo de compartilhamento entre as empresas, sem sucesso. “Mesmo não existindo formalmente um chinese wall, há previsão contratual de que a troca de informações entre as partes será limitada àquelas necessárias à execução do acordo”, afirmou o parecer do órgão antitruste.

Entretanto, o Cade ressaltou no processo que esses tipos de acordos demandam uma análise cuidadosa, sendo observados caso a caso, para evitar efeitos na competição, o que pode gerar concentração de mercado, principalmente em um cenário da chegada do 5G, que demandará a implantação de uma infraestrutura muito maior, o que motivará mais acordos de compartilhamento entre as empresas.

Com informações de Teletime.

Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
CONTEUDO RELACIONADO

2 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários

MAIS POPULARES