Reclamações registradas sobre serviços de telecom têm redução de 24,9% em abril

Houve queda no número de queixas abertas por usuários de telecomunicações em relação a 2020.

A Conexis Brasil informou nesta terça-feira, 18, que houve uma diminuição de 24,9% no número de reclamações abertas por usuários de serviços de telecomunicações em abril quando comparado ao mesmo período de 2020.

Os dados usados no levantamento da entidade são da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A Conexis Brasil representa as maiores operadoras do país.

Ainda segundo a associação, no último ano houve queda no número de queixas em todos os principais serviços de telecom, sendo que a maior delas foi vista no serviço de TV por assinatura.

O índice nesse setor caiu de 26.553 para 14.536, uma redução de 45,3%. Na telefonia móvel, as reclamações diminuíram de 122.829 para 92.839, ou seja, 24,4% de diferença.

VEJA TAMBÉM:

–> Conexis diz que prazo para implantação do 5G nas capitais pode ser insuficiente

–> Conexis Brasil Digital define prioridades para 2021

–> 4G alcança 5.275 cidades no Brasil, diz Conexis

Já na banda larga fixa foi registrada uma queda de 31,4%, indo das 74.217 queixas para 50.937 delas. O curioso desses números é que eles ocorrem num intervalo de tempo influenciado pela pandemia de covid-19.

Isso se traduz em uma quantidade maior de pessoas em casa fazendo teletrabalho ou assistindo aulas online, por exemplo, de acordo com a Conexis.

Mesmo assim, as queixas tiveram redução. Ao todo, o mês de abril do ano passado teve 260.239 reclamações registradas, enquanto em abril deste ano o número foi de 195.373, ou seja, 64.866 a menos que um ano atrás.

Para Marcos Ferrari, presidente executivo da Conexis, isso demonstra que os investimentos realizados pelas operadoras e as medidas de autorregulação estão fazendo efeito e melhorando a qualidade dos serviços.

Compromisso público

Foi também em abril de 2020 que diversas empresas e associações do setor de telecom enviaram uma carta para a Anatel lançando um compromisso público visando enfrentar a situação de pandemia que então se iniciava.

Outra iniciativa, feita em conjunto pela agência reguladora e outras diversas empresas e prestadoras do setor, incluindo a então Sinditelebrasil (hoje Conexis Brasil), se comprometeram de maneira parecida.

Em comum nestas ações estava um esforço no sentido de manter os serviços funcionando mesmo com a grande e prevista mudança no perfil de uso da população.

Com informações de Teletime

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários