Operadoras poderão vender planos de TV paga com pagamento antecipado

Anatel modificou regulamento com o objetivo de estimular a concorrência com os serviços de streaming.

Operadoras poderão vender planos de TV paga com pagamento antecipado

Nesta quinta-feira, 6 de maio, o Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou medida cautelar que libera as operadoras de cobrar antecipadamente pela prestação dos serviços de TV por assinatura.

Antes dessa decisão, o Regulamento Geral dos Direitos do Consumidor (RGC), da Anatel, proibia as empresas de cobrar mensalidades antes de o serviço ser consumido.

O pedido de medida cautelar foi movido pela SKY, para que a operadora pudesse vender planos pós-pagos com cobrança antecipada.

Em seguida, a Vivo e a Claro também solicitaram o ingresso no processo, o que foi seguido pela Conexis Brasil Digital.

VEJA TAMBÉM:

–> Anatel lança mapa interativo com a cobertura 3G e 4G em todo o país

–> Anatel lança app que compara preços de operadoras

–> Decisão da Anatel pode transformar streaming e TV paga

O tema já havia sido pauta de reunião em abril passado, mas os conselheiros acabaram divergindo.

Carlos Baigorri e Vicente Aquino votaram pela liberação da cobrança antecipada. Já Moisés Moraes e Leonado de Morais votaram contra.

Na reunião desta semana, Emmanoel Campelo também se manifestou contrário, mas acabou prevalecendo a liberação, depois que Morais mudou de posição.

Atualmente, plataformas de streaming e serviços IPTV cobram antecipadamente dos usuários para liberar o acesso aos conteúdos.

Em seu voto, Baigorri, relator do processo, afirmou que a medida seria uma “tentativa humilde de reduzir assimetrias”, na concorrência entre as operadoras de TV e os serviços de streaming.

O conselheiro defendeu que existe uma nova realidade concorrencial no mercado e que o Estado não poderia intervir em um deles, porque “não faz mais qualquer sentido”.

Já Leonardo de Morais argumentou que adoção da cobrança antecipada permitiria a oferta de planos de TV mais flexíveis para o consumidor final.

Já Moreria, contrário ao tema, lembrou que a SKY é contra o regulamento desde que ele entrou em vigor, muito antes da popularização dos serviços de streaming.

Ele apontou ainda que a SKY é alvo de uma investigação pela Anatel por praticar no ano passado a cobrança antecipada de serviços pós-pagos, desobedecendo as regras vigentes.

“Chegou ao meu conhecimento haver um PAC com fulcro em relatório de fiscalização de dezembro de 2020, no qual se diz que a Sky vem comercializando planos pós-pagos antecipadamente, e que não devolve os valores para quem rescinde o contrato antes do término do ciclo. Ainda que a investigação não tenha se esgotado, é indício que o pleito visa legitimar conduta contrária supostamente praticada por ela”, afirmou Moreira.

Com informações de Telesíntese e Teletime.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários