Maior cobertura 5G em ambientes internos está reduzindo uso do WiFi

Parte das pessoas que já estão usufruindo da tecnologia 5G passaram a preferir ela em vez de usar uma rede sem fio.

Ilustração do 5G

Relatório da Ericsson ConsumerLab publicado nesta quinta-feira, 13, aponta que duas a cada dez pessoas em todo o mundo preferem usar menos as redes WiFi disponíveis em locais fechados para permanecer no 5G.

Isso se deve a uma cobertura crescente das redes de quinta geração em ambientes internos. O resultado do relatório parte da maior pesquisa sobre consumidores de 5G até o momento, que analisou a percepção deles em 26 mercados.

Estados Unidos, Coreia do Sul, China e Reino Unido estiveram entre os países sondados. A metodologia representa 220 milhões de assinantes 5G num universo de 1,3 bilhão de usuários de smartphone globalmente.

Uma das descobertas trazida pelo relatório é que, em relação aos usuários 4G, aqueles que já contam com 5G costumam passar em média 01 hora a mais em apps de realidade aumentada por semana.

Jogos na nuvem também contam com mais tempo dedicado a eles: cerca de duas horas extras. Sete em cada dez entrevistados, porém, estão insatisfeitos com a escassez de novos serviços e apps para usar com o 5G.

VEJA TAMBÉM:

–> Por falta de lei, São Paulo enfrenta problemas com implantação de antenas 5G

–> Dona da Vivo fecha parceria com a Microsoft com foco no 5G

–> Brasil ativa o primeiro caixa eletrônico 5G da América Latina

Outra revelação foi que os consumidores nos países pesquisados estão dispostos a desembolsar entre 20% a 30% a mais por planos 5G que se integram a casos de uso de serviço digital.

A pandemia de Covid-19 que afeta o mundo também influenciou no estudo por conta das restrições impostas, fazendo com que mais pessoas permanecessem em casa.

Isso faz com que a maior parte das experiências dos primeiros usuários de 5G tenha acontecido em ambientes fechados, mostrando a importância de uma cobertura interna em detrimento da velocidade alcançada.

Para os consumidores pesquisados, a cobertura chega a ser duas vezes mais importante do que a velocidade ou a duração de bateria para que possam usufruir das experiências trazidas pelo 5G de modo satisfatório.

Entre as maneiras que os provedores têm para irem de encontro ao que o consumidor espera, o relatório descreve os seguintes pontos:

  • Esclarecer e informar o consumidor sobre o que o 5G agrega de melhor valor;
  • Oferecer uma cobertura 5G com qualidade consistente em ambientes internos e externos;
  • Quando novos serviços 5G forem lançados, fazer a adaptação aos requisitos de rede;

O estudo completo está disponível no site da Ericsson (em inglês).

Com informações de Convergência Digital

Acompanhar esta matéria
Notificação de
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários