BNDES prorroga prazo para consultorias interessadas na venda da Telebras

A nova data busca atrair empresas que possam realizar os estudos necessários para o trâmite.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aumentou o prazo para receber manifestações de consultorias interessadas na elaboração de análises de preço e preparação da venda da Telebras.

A nova data agora vai até o dia 24 de maio de 2021, após o limite inicial ter sido encerrado no dia 19 de maio.

De acordo com o BNDES, os RFIs 17/2021 e 18/2021 buscam mapear quais as empresas que possuem a capacidade necessária para que possam elaborar estudos para viabilizar a desestatização da Telebras.

A consulta de proposta RFI 17/2021 tem como norte avaliar a parte econômico-financeira, enquanto a RFI 18/2021 envolve comparações internacionais, auditorias e estudos sobre alternativas à privatização.

VEJA TAMBÉM:

–> Telebras renova cessão de fibras ópticas com a Petrobras por mais 10 anos

–> CCT quer debater efeitos da venda da Telebras na operação de satélite brasileiro

–> Viasat lança novos planos de internet via satélite

Para a secretária especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Martha Seillier, a venda da estatal possui “aspectos sensíveis”, conforme mencionou em dezembro do ano passado.

Entre eles estão pontos relacionados com a segurança nacional, já que a Telebras opera o satélite geoestacionário. Daí vem a importância da consultoria especializada.

No mês passado, o deputado federal Vitor Luppi (PSDB/SP) apresentou um requerimento à Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara para que fosse realizada uma audiência pública.

O objetivo seria discutir os impactos da privatização da Telebras sobre a operação do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC).

Conforme o Minha Operadora noticiou na ocasião, o deputado espera com isso atualizar as informações sobre a operação do satélite, potencias riscos e consequências relacionados a este trâmite.

Outro dos assuntos da pauta poderia envolver um contrato celebrado entre a Viasat e a Telebras. O motivo é que apesar do SGDC ter potencial de oferecer até 50 mil enlaces, somente 15 mil deles tiveram a instalação prevista.

O governo federal espera conseguir privatizar a estatal de telecomunicações até o ano que vem.

Com informações de Convergência Digital

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários