01/07/2022

ONG leva internet para 13 escolas públicas de Cariacica, no Espírito Santo

No total, mais de 6.500 alunos da rede pública de ensino de Cariacica, no Espírito Santo, serão beneficiados pelo Instituto Escola Conectada.

O Instituto Escola Conectada, ONG criada em 2020 para levar internet banda larga à escolas públicas do Brasil com o apoio de empresas locais, anunciou nesta quarta-feira (22) que interligou recentemente mais de 13 escolas à rede de alta velocidade no município de Cariacica, no Espírito Santo, em parceria com a provedora regional Sumicity.

alunos-da-rede-publica-de-ensino-escolas

Segundo informações, cerca de 6.600 alunos devem se beneficiar da conexão à internet nas unidades de ensino da cidade, que passam a contar com infraestrutura de ponta utilizando a tecnologia de fibra óptica (FTTH) para proporcionar alta velocidade — os planos disponibilizados nas escolas têm 450 Mbps de download — e estabilidade mesmo com múltiplos dispositivos conectados.

Em resposta ao Minha Operadora, um porta-voz do Instituto Escola Conectada revelou que além da Sumicity outros provedores também colaboraram com a ideia de levar internet de qualidade para alunos da rede pública de ensino.

No total, mais de 6 empresas regionais contribuíram para o desenvolvimento do projeto, incluindo o Grupo Datora e provedores como Telium, Um Telecom, Telium, Telecall, Ligue Telecom, RLine e NETCINTRA Telecom.

Sucesso do projeto

Apesar do pouco tempo de existência, a ONG conseguiu conectar mais de 52 escolas públicas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Minas Gerais, alcançando mais de 24 mil estudantes da rede pública, número que deve crescer para 100 mil até o final deste ano, segundo previsões.

De acordo com Marcos Pinheiro, diretor e responsável pelo Instituto Escola Conectada, a ideia é que “todas as pessoas no Brasil, independentemente de gênero, etnia ou classe social, tenham acesso a uma educação inclusiva, conectada, equitativa e de qualidade”.

Ao levar internet de qualidade para estas escolas, estamos promovendo não apenas a inclusão de crianças e adolescentes na tecnologia, mas também criando novas oportunidades de aprendizado e auxiliando no desenvolvimento do país”, completa Marcos

Lucas Ribeiro
Lucas Ribeiro
Jornalista há quatro anos, trabalho com revisão de textos e elaboração de pautas sobre telefonia móvel/telecomunicações no geral. Como lema, compartilho a ideia de Álvaro Borba, que diz: “Não importa o que eu acho, importa o que eu sei, e o que sei são os fatos”.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x