Governo do Maranhão pede que operadoras liberem WhatsApp por seis meses

Solicitação é para que os serviços sejam disponibilizados gratuitamente para telefones pré-pagos.

Mão segurando um celular com o aplicativo do WhatsApp aberto.
Imagem ilustrativa.

Em reunião com representantes de empresas de telefonia celular das operadoras Oi, Vivo e TIM, o Governo do Maranhão pediu a liberação do WhatsApp para os telefones pré-pagos pelos próximos seis meses em todo o estado.

No encontro, o Governo do Estado foi representado pelo secretário de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), Simplício Araújo.

Durante a reunião, o secretário agradeceu as operadoras por terem aceitado o diálogo pela possibilidade de ajudar milhares de maranhenses durante a pandemia.

Araújo acredita que essa liberação deve beneficiar, principalmente, a população mais carente do Estado a continuar buscando ajuda para o combate à Covid-19.

Em sua justificativa, o secretário destacou que a fome disparou no estado, principalmente por conta do desemprego e após a interrupção do auxílio emergencial.

Ele acrescentou ainda que a liberação do aplicativo é importante por facilitar a troca de informações sobre programas destinados a população carente, além de oportunidades de trabalho.

VIU ISSO?

–> WhatsApp deixará de funcionar em aparelhos iOS e Android em 2021

–> Google e operadoras brasileiras lançam concorrente do WhatsApp

–> WhatsApp impõe novo limite para envio de mensagens

“Existem muitos casos de insegurança alimentar que estão preocupando todo o país. Esta ação ajudará os trabalhadores informais a terem acesso ao mercado de trabalho e aos ‘bicos’”, disse.

Além disso, ele acrescentou que “a dificuldade em se comunicar não deve ser um problema atual e que o Governo do Maranhão seguirá lutando constantemente para quebrar estas barreiras”.

Estiveram presentes entre os representantes das operadoras: Fabiana Arruda, Relações Institucionais da TIM; Olenita Paes Barreto, Relações Institucionais da Vivo; e Helton Rocha, Relações Institucionais da Oi.

Desemprego

Um estudo, divulgado em março deste ano pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que a taxa de desemprego no Maranhão, em 2020, foi de 15,9%.

Essa foi a maior porcentagem registrada pelo estado desde 2012, quando a taxa de pessoas sem emprego foi de 8,1%.

Com isso, o Maranhão ficou na 7º posição entre os estados brasileiros com maior índice de desempregados em 2020, ficando atrás da Bahia, Alagoas, Sergipe, Rio de Janeiro, Pernambuco e Roraima.

Com informações de Assessoria de Imprensa.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários