Coalizão internacional promove combate coordenado contra serviços de IPTV pirata

Entidade tem utilizado de ações judiciais ‘agressivas’ para retirar do ar plataformas que distribuem conteúdo ilegal na internet.

Coalizão internacional promove combate coordenado contra serviços de IPTV pirata

Uma coalizão formada por entidades de vários países está monitorando, identificando e coletando evidências para auxiliar em ações judiciais agressivas contra serviços de IPTV pirata.

A International Broadcaster Coalition Against Piracy (IBCAP) representa mais de 140 canais de televisão da Europa, Oriente Médio, Sul da Ásia e, também, do Brasil.

A ideia do grupo é fazer ataques judiciais coordenados, com o objetivo de responsabilizar serviços não autorizados e varejistas, além de fechar plataformas que distribuem conteúdos que violam direitos autoriais.

A IBCAP conta com apoio técnico da NAGRA, divisão de TV digital do Grupo Kudelski, que identifica e reúne evidências para a coordenação de processos na Justiça.

VIU ISSO?

–> Bloqueio de servidores piratas de IPTV continua

–> Cloudflare é obrigado a bloquear dois servidores IPTV pirata

–> Serviços de streaming também estão ofertando conteúdos piratas

Segundo a IBCAP, as ações têm se mostrado bastante eficazes.

Na última semana, por exemplo, um Tribunal dos Estados Unidos condenou um proprietário de sites de IPTV piratas a pagar uma indenização de US$ 16,80 milhões (R$ 96,97 milhões na cotação atual), além do encerramento dos serviços ilegais e a transferência de 15 domínios para um membro da IBCAP.

Nos últimos cinco anos, o IBCAP acumulou vitórias em mais de 20 ações judiciais parecidas.

As medidas incluem mandados na Justiça que se estendem até redes de fornecimento de conteúdo (CDNs) e provedores de serviços de internet (ISPs).

“Seremos incansáveis em trabalhar com nossos membros para encerrar esses serviços. Se não estiverem em conformidade, todas as medidas legais disponíveis serão consideradas e usadas conforme necessário, incluindo a busca por indenizações e amplas ações judiciais que se estendam a CDNs, ISPs, varejistas e outros. A aplicação de sentenças contra varejistas resultou na falência dessas lojas ou indivíduos”, afirmou Chris Kuelling, diretor executivo da IBCAP.

“A pirataria de conteúdo global frauda os criadores de conteúdo e corrói a confiança do consumidor. A NAGRA continua a monitorar, reunir e agir com base na inteligência para equipar alianças estratégicas da indústria, como a da IBCAP, com evidências convincentes que levam a ações bem-sucedidas contra aqueles envolvidos nas operações piratas e na distribuição de conteúdo ilícito”, conclui Pascal Metral, vice-presidente de assuntos jurídicos e chefe de investigações antipirataria, inteligência e litígio da NAGRA.

Com informações de Assessoria de Imprensa NAGRA.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
3 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários