Loon: Alphabet desiste de oferecer banda larga por meio de balões

Dona do Google enfrentou dificuldades para tornar o projeto comercialmente viável.

Nesta quinta-feira, 21, a Alphabet, empresa controladora do Google, anunciou que está encerrando o Projeto Loon, que tinha o objetivo de desenvolver uma tecnologia para oferecer internet banda larga por meio de balões estratosféricos.

O anúncio foi feito por Astro Teller, cientista responsável pelos projetos da X, divisão da Alphabet que se dedica a desenvolver tecnologias de ponta.

“Apesar das conquistas técnicas inovadoras da equipe nos últimos 9 anos – fazer muitas coisas antes consideradas impossíveis, como navegar precisamente em balões na estratosfera, criar uma rede de malha no céu ou desenvolver balões que podem suportar as condições adversas da estratosfera por mais de um ano – o caminho para a viabilidade comercial se provou muito mais longo e arriscado do que o esperado”, afirmou Teller.

Em julho do ano passado, o Loon chegou a lançar um serviço comercial no Quênia, suportado por uma frota de cerca de 35 balões e cobrindo com internet uma área de 50 mil km quadrados.

VIU ISSO?

–> Nokia e Google se unem pelo 5G

–> Veja os resultados da internet de 2 Gbps do Google

–> Google decreta o fim das ligações VoIP pelo Hangouts

O projeto também disponibilizou internet por meio de balões em áreas afetadas por desastres naturais, como Porto Rico, após o furacão Maria em 2017; e para o Peru, no terremoto de 2019.

De acordo com Teller, nos próximos meses, o projeto será encerrado de forma “harmoniosa”, com a maior parte da equipe sendo remanejada para outras funções dentro da X, Google e Alphabet.

Algumas das tecnologias desenvolvidas durante o Loon, como os links de comunicação ótica, serão reaproveitadas em outros projetos da X, com o Taara, que busca levar internet de alta velocidade a preços acessíveis para comunidades descontadas e subconetcadas na África Subsaariana.

Já no Quênia, a empresa prometeu um fundo de US$ 10 milhões (R$ 53,55 milhões na cotação atual) para apoiar organizações sem fins lucrativos e empresas com foco em conectividade, internet, empreendedorismo e educação no país.

A expectativa é que o país africano também seja o primeiro a ser beneficiado pelo projeto Taara.

Com informações de X.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários