InícioEconomia e NegóciosApós operadoras chinesas, Trump mira na Tencent

Após operadoras chinesas, Trump mira na Tencent

Conglomerado é o maior provedor de serviços de internet na China.

Depois do controverso anúncio da deslistagem de ações das operadoras China Mobile, China Telecom e China Unicom, o presidente norte-americano Donald Trump estendeu suas ameaças à Tencent.

O conglomerado é o maior provedor de serviços de valor agregado da China, incluindo aplicativos de mensagens, redes sociais, jogos, sistemas de busca e até uma plataforma de streaming de vídeo.


Além da Tencent, a Alibaba, de e-commerce, também corre o risco de ter suas ações deslitadas na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE).

Por sua vez, a NYSE afirma que aguarda instruções do Tesouro norte-americano antes de banir qualquer outra empresa.

VIU ISSO?

–> China pretende reagir à retirada de operadoras da Bolsa dos EUA

–> China é acusada de espionar redes de telefonia dos EUA

–> Operadoras ameaçam ir à Justiça se o Brasil decidir banir a Huawei

Depois da cruzada contra a Huawei, Trump tem investido contra grandes companhias de tecnologia e telecomunicações da China, com o argumento de que as mesmas têm laços com militares chineses.

Desde novembro passado, uma ordem executiva assinada pelo presidente dos EUA proíbe que empresas e cidadãos americanos invistam em companhias chinesas que suspeita-se que são proprietárias ou controladas por militares.

Trump também tenta barrar o acesso de americanos a aplicativos chineses. Porém, a Justiça dos EUA tem liberado o seu uso, como é o caso recente do TikTok.

Com informações de Isto É Dinheiro.

Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.

2 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários