InícioEconomia e NegóciosChina pretende reagir à retirada de operadoras da Bolsa dos EUA

China pretende reagir à retirada de operadoras da Bolsa dos EUA

Exclusão de ações da China Mobile, China Telecom e China Unicom ocorre após determinação de Donald Trump.

O governo da China afirmou que pretende tomar “medidas necessárias” para assegurar os interesses das operadoras chinesas que têm papéis negociados na Bolsa dos EUA.

Conforme noticiado pelo Minha Operadora, a Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) anunciou na semana passada que iniciou o processo de cancelamento das ações das operadoras China Mobile (CHL), China Telecom (CHA) e China Unicom Hong Kong (CHU).

A medida atende uma determinação de Donald Trump que proíbe o investimento americano em empresas chinesas que supostamente seriam propriedade ou controladas por militares.

“Este tipo de abuso de segurança nacional e do poder do Estado para suprimir as empresas chinesas não está em conformidade com as regras do mercado e viola a lógica do mercado”, disse o Ministério do Comércio chinês em um comunicado.

“Isso não só prejudica os direitos legais das empresas chinesas, mas também prejudica os interesses dos investidores em outros países, incluindo os Estados Unidos”, acrescentou.

O ministério chinês também pede a retomada das relações comerciais bilaterais entre EUA e China.


VIU ISSO?

–> China é acusada de espionar redes de telefonia dos EUA

–> Governo Federal deve usar 5G para se aproximar de Joe Biden

–> Operadoras ameaçam ir à Justiça se o Brasil decidir banir a Huawei

Ainda não está certo qual será a postura quanto à China do futuro presidente norte-americano Joe Biden, que assume o cargo em 20 de janeiro.

Entretanto, especialistas acreditam que Biden deve reduzir o clima hostil sobre os chineses, tensão esta que marcou o governo de Trump.

Com informações de Money Times.

Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários