Entenda a polêmica ao redor do streaming HBO Max

Ainda sem data de lançamento no Brasil, plataforma da Warner Bros. é alvo de críticas por parte de cineastas e artistas.

Mulher-Maravilha 1984. Imagem: Divulgação Warner Bros.
Mulher-Maravilha 1984. Imagem: Divulgação Warner Bros.

A A&T parece estar em maus lençóis com o HBO Max, plataforma de streaming que reúne todas as produções dos estúdios Warner Bros.

Tudo começou por causa da controversa decisão de lançar filmes no cinema e no serviço de vídeo sob demanda de forma simultânea.


Mas, qual é o problema até aqui? É o que vamos tentar entender em uma breve linha do tempo.

Sem conteúdo?

Com uma estreia no auge da pandemia do novo coronavírus, o HBO Max estava com suas produções originais paralisadas, poucas séries foram lançadas no período.

É um fato que provavelmente deve ter atrapalhado a estratégia da nova marca, afinal, a Netflix conseguiu manter um bom ritmo de lançamentos para fidelizar e conquistar assinantes no período.

A Warner Bros., por mais que tenha títulos de sucesso, se baseou nas obras que estavam anteriormente em outras plataformas ou já foram vistas nos cinemas.

Basicamente, é como um lançar um serviço com poucas novidades, onde a nostalgia fosse a principal aposta para o sucesso.

ECONOMIZE! 💰 Compare os planos das operadoras de celular e escolha o mais vantajoso para você.

Fracasso de bilheteria

Com um orçamento de US$ 200 milhões, Tenet, do diretor Christopher Nolan, foi lançado nos cinemas em meio a pandemia e faturou apenas US$ 360 milhões.

O lucro é considerado “fracasso”, a julgar por todas as despesas que o estúdio teve com o filme.

Com isso, surgiu a decisão de unir o útil ao agradável e Mulher-Maravilha 1984 foi a primeira obra anunciada para ter estreia simultânea no streaming e cinemas.

Dessa maneira, a WarnerMedia teria um lançamento de peso para ganhar mais assinaturas no HBO Max.

É como perder de um lado e ganhar no outro.

VIU ISSO?

–> AT&T terá mais foco no streaming com o HBO Max

–> HBO Max gera alvoroço nas redes sociais; entenda o motivo

–> Qualidade das séries do HBO Max é aposta para vencer Netflix

Calendário de 2021 todo movido para o streaming

Na semana passada, em uma das estratégias consideradas mais “ousadas” por especialistas, a Warner Bros. moveu todos os seus lançamentos de 2021 para streaming.

Serão 17 filmes com estreias simultâneas.

A decisão, além de afetar redes de cinema, que ficaram com baixa nas ações, gerou controvérsia entre diretores e artistas de Hollywood.

Mas, na prática, a ideia era ter um fluxo de novidades para suprir o atraso das produções originais, além de colocar o HBO Max à frente da concorrência.

Diretores e artistas com forte reação

A polêmica começou quando o diretor Christopher Nolan alegou que o HBO Max é o “pior serviço de streaming” e que a estratégia é uma bagunça.

Afinal, o estúdio conseguiu os melhores artistas e cineastas do mundo para os filmes de 2021, pessoas que trabalharam por anos nos projetos, e não foram comunicadas sobre a decisão.

Títulos como “Matrix 4”, “Esquadrão Suicida 2”, “Godzilla vs. Kong” e “Invocação do Mal 4” estão listados.

Para completar, a The Hollywood Reporter fez uma matéria e divulgou detalhes sobre a estratégia do HBO Max.

Nela, Gal Gadot e Patty Jenkins, estrela e diretora de Mulher-Maravilha 1984, teriam recebido um bônus salarial de US$ 10 milhões pela estreia do filme no streaming, diferente dos outros artistas envolvidos nos 17 lançamentos de 2021.

Ou seja, astros como Will Smith, Keanu Reeves, Denzel Washington e outros reclamam de não terem recebido o mesmo tratamento.

Com informações de ET Online e The Hollywood Reporter

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários