Vitória de Biden já faz Bolsonaro reconsiderar banimento da Huawei

Segundo interlocutores, tudo dependerá da postura do presidente eleito ao chegar na Casa Branca.

Imagem: Agência Brasil

Apesar do governo brasileiro já ter manifestado apoio ao acordo “Clean Network” (“Rede Limpa”, em inglês), a vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais dos Estados Unidos já pode ter feito Jair Bolsonaro recuar, reservadamente, em sua tendência de banir a Huawei nas futuras redes 5G do Brasil.

De acordo com interlocutores, uma decisão de Bolsonaro sobre a Huawei dependerá de como Biden atuará nos primeiros meses na Casa Branca.


A postura do futuro presidente dos Estados Unidos para com a China (assim para com o Brasil) ainda é uma incógnita.

Por isso, diante da incerteza, o governo brasileiro pode estar adotando um uma posição mais cautelosa.

Atualmente, China e Estados Unidos são os dois principais parceiros comerciais do Brasil. Por isso, o país se vê no meio de uma guerra comercial entre as duas potências.

Em um possível cenário de distanciamento entre os governos de Bolsonaro e Biden, o banimento da Huawei poderia provocar retaliações chinesas danosas para o país, o que impactaria principalmente o agronegócio brasileiro.

VIU ISSO?

–> Ministro Barroso quer leilão técnico para o 5G

–> Deputado questiona Itamaraty sobre acordo entre Brasil e EUA

–> Huawei deve recorrer à Justiça para não ser banida no Brasil

Segundo fontes, militares próximos ao Planalto estão preocupados com a segurança da tecnologia do 5G. Eles defendem cautela não apenas com os chineses, mas também com os próprios americanos.

Eles recordam o escândalo de espionagem eletrônica internacional (incluindo o Brasil) promovido pela Agência Nacional de Segurança dos EUA, a NSA, revelado em 2013, por Edward Snowden.

Com informações de Valor Econômico.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
4 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários