Operadoras são investigadas por suspeita de lavagem de dinheiro

Polícia Civil acredita que empresas de telefonia e internet são parceiras de traficantes e milicianos.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro está investigando operadoras de telefonia e internet por envolvimento com traficantes e milicianos. A suspeita é que empresas de fachada estejam sendo utilizadas para lavagem de dinheiro.

Os criminosos estariam atuando em bairros do Rio de Janeiro, além de outras cidades da região metropolitana.


De acordo com denúncias, traficantes tem cortado cabos de telecomunicações e obrigado moradores a adquirir planos de empresas que seriam parceiras financeiras das quadrilhas.

Muitos moradores estão isolados sem os serviços de telecomunicação em localidades como Rio das Pedras, Taquara, Guaratiba, Jacarepaguá, Gardênia Azul, São João de Meriti, Estácio, Parada de Lucas, Caju, Belford Roxo, São João de Meriti, Araruama e São Gonçalo.

VIU ISSO?

–> Traficantes quebram aparelhos das teles para vender internet pirata

–> Polícia Militar desmonta ‘Gatonet’ em Angra dos Reis

–> Quadrilha utilizava uniformes da Vivo para roubar cabos

“Agora eles cortaram completamente a telefonia e a internet. Os bandidos obrigam os moradores a usar a internet do tráfico. Estamos indo para 20 dias sem internet e sem telefone fixo”, afirmou um morador.

A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas da Polícia Civil (Draco) afirma que já identificou 25 empresas suspeitas de participar do esquema.

Com informações de G1.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários