Traficantes quebram aparelhos das teles para vender internet pirata

Moradores de São Gonçalo (RJ) denunciam que criminosos estão agindo para os forçarem a contratar serviços de telecom piratas.

Segundo o G1, uma facção do tráfico está destruindo equipamentos de operadoras de internet em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, para oferecer o serviço de conectividade de forma clandestina.

A região conta com 10 comunidades, como Salgueiro, Gradim, Boaçu, Porto da Pedra, Patronato, Paraíso, entre outras. Juntas elas reúnem mais de 100 mil pessoas.


Ao entrar em contato com as operadoras, os moradores são informados que o serviço não está funcionando na região porque os técnicos não podem acessar a área. Os traficantes estão impedindo que os consertos sejam realizados.

A facção estaria ligada ao Comando Vermelho (CV), dizem as denúncias.

VIU ISSO?
–> Yahsat passa a oferecer banda larga no Rio de Janeiro
–> Reconhecimento facial no Rio de Janeiro utilizará software da Oi
–> CenturyLink expande seu data center no Rio de Janeiro

“A própria operadora informou que, na região, mais de 700 clientes estavam sem internet em função desse problema”, relatou um morador ao portal.

Com a situação, as operadoras estão paralisando os serviços na região, avisando os clientes e deixando de emitir cobranças.

Enquanto isso, os bandidos fazem divulgação da prestação do serviço ilegal, distribuindo panfletos e colocando propaganda em postes e caixas de correio. Os pacotes variam em velocidade e em preços e o pagamento é feito em dinheiro. Os mesmos que cortam os fios são os que vendem o acesso à internet.

Como os moradores têm medo de fazer a denúncia, a polícia tem dificuldade para fazer a investigação, pois não há um registro de ocorrência formal do crime.

A SKY tem o plano ideal para a sua TV! Aproveite já com 50% de desconto no primeiro mês. Ligue 0800 123 2040.

COMPARTILHAR EM:

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
ngm

Na verdade, esses lugares citados não são comunidades, mas bairros da cidade mesmo. E isso não é de forma geral, são em algumas “comunidades” existentes dentro desses bairros. Eles cortam os fios das operadoras e mantem apenas o provedor deles, ou seja, o cliente final contrata o serviço deles ou ficam dependentes apenas das redes 3G/4G.

Cidade - UF
São Gonçalo - RJ