Operação destrói 160 mil aparelhos de IPTVs piratas

Movimento da Receita Federal atingiu a expressiva marca em combate a pirataria no Brasil; saiba mais detalhes.

Aparelhos de IPTVs piratas destruídos
Imagem: Reprodução RPC (Afiliada TV Globo)

Na última quarta-feira, 11 de novembro, a Receita Federal chegou à marca de 160 mil receptores clandestinos de TV destruídos.

Entre os equipamentos, haviam tanto os convencionais quanto os que funcionam apenas via internet (IPTV) e podem danificar a rede do usuário em questão.


A operação é movida desde 2016 e só no dia 11 foram destruídos 1,7 mil aparelhos.

O recolhimento foi feito na Alfândega, em Foz do Iguaçu. As ações foram responsáveis por apreensões na fronteira do Brasil com o Paraguai.

Os aparelhos, depois de incapacitados para uso, são encaminhados para um processo de reciclagem.

Eduardo Carneiro, coordenador de Combate à Pirataria da Agência Nacional do Cinema (Ancine), destaca que são receptores não homologados pela Anatel.

VIU ISSO?

–> IPTVs piratas estão liberadas na Play Store

–> Brasil tira do ar 252 sites IPTV e 65 aplicativos streaming piratas

–> Mais um site IPTV pirata é derrubado

Consumidores geralmente conectam o cabo dos seus roteadores neles para viabilizar a conexão. É aí que mora o perigo, pois pode ser a porta de entrada para vírus e outros problemas na rede privada.

De acordo com a ABTA (Associação Brasileira de Televisão por Assinatura), são receptores presentes em 4,5 milhões de residências no país.

O prejuízo é calculado em R$ 9,5 milhões anuais para a indústria audiovisual e R$ 2 bilhões em impostos.

Com informações de G1

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários