Fãs culpam a Claro por possível atraso no lançamento do Disney+

Interpretação do público e de outros veículos de comunicação é que a operadora questiona o lançamento; entenda o conflito.

Divulgação Disney+
Imagem: Divulgação Disney+

Aos poucos, cresce uma repercussão na internet de que a Claro contesta o lançamento do Disney+ no Brasil. No Twitter, alguns usuários chegaram até mesmo a comentar que a operadora fez uma denúncia para que o streaming fosse enquadrado na Lei do SeAC (também conhecida como Lei da TV por assinatura).

Até então, a plataforma da Disney tem estreia prevista para o mês de novembro, mas há quem afirme que o lançamento pode sofrer um atraso por conta dessa possível interferência da Claro.


A informação é verídica ou houve uma má interpretação dos fatos até então? Vamos explicar:

O início: Claro vs. FOX

Tudo começou com a longa disputa entre Claro e FOX, onde a operadora se posicionou contra a investida do estúdio em lançar seu próprio serviço de streaming com a transmissão dos canais da TV por assinatura liberada na plataforma.

Na visão da prestadora, além de configurar uma concorrência desleal, a Lei do SeAC prevê que canais podem ser comercializados apenas por distribuidoras.

VIU ISSO?

–> Claro formaliza guerra contra FOX e Turner

–> O bônus e o ônus do fim da ‘propriedade cruzada’

–> Reforma na Lei do SeAC une esquerda e direita, diz Eduardo Bolsonaro

A grande questão é que o streaming ainda não é regulado pela legislação da TV por assinatura e não ficou decidido se é a Anatel ou a Ancine que cuidará das regras do setor. Portanto, a FOX levou a melhor na disputa, apesar de ter descontinuado seu serviço de streaming por questões estratégicas.

Continuação do debate

No entanto, players da indústria continuam na promoção de um debate sobre a regulação do vídeo sob demanda, já que o setor destrói a TV por assinatura, aos poucos, e deve ser um mercado cada vez mais aquecido no país.

Para marcas como Netflix e Amazon Prime Vídeo, nunca foi um problema produzir conteúdo nacional, mas e para as novas empresas que estão por vir? A lei terá que entrar em ação?

Afinal, essa é uma das regras estabelecidas pela Lei do SeAC, que define as diretrizes que devem ser seguidas pelos canais da TV por assinatura.

Disney+ será adiado?

De fato, diversos sites, influenciadores e até usuários mencionam um atraso no lançamento do Disney+ por conta de uma nota do colunista Lauro Jardim, onde o mesmo afirma que a empresa aguarda pela definição.

Ou seja, o estúdio quer saber se a Lei do TV por assinatura ou qualquer outra legislação será aplicada no streaming antes de aterrissar no país.

Sobre isso, uma votação está prevista para o mês de agosto e vale destacar que a previsão de estreia do Disney+ é para o mês de novembro, portanto, é equivocado falar sobre um “atraso” que sequer foi mencionado pelo material utilizado como fonte por diversos portais.

Além do mais, não dá para supor um atraso se a votação ainda nem aconteceu.

Como a Claro se relaciona com isso?

De acordo com Lauro Jardim, a Claro apenas faz parte do lado que argumenta a favor da Lei do SeAC ser ampliada e passar a considerar os serviços de streaming. Essa é a única informação divulgada, não há qualquer menção a uma denúncia ou contestação do lançamento.

A operadora, de acordo com o que foi divulgado, apenas batalha para não sofrer com uma concorrência desleal.

Entretanto, o Minha Operadora entrou em contato com a empresa e pediu um esclarecimento a respeito da repercussão crescente na mídia e nas redes sociais. Se houver uma resposta, o conteúdo da matéria será atualizado.

Confira algumas publicações feitas no Twitter:

Com informações de O Globo

No UOL Play você encontra filmes, séries, desenhos, shows e esportes ao vivo. Além disso, alugue os títulos que acabaram de sair do cinema. Clique e experimente por 7 dias grátis!

COMPARTILHAR EM:

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários