InícioEconomia e NegóciosClaro adiciona mais de 100 mil acessos na banda larga

Claro adiciona mais de 100 mil acessos na banda larga

Operadora teve resultados estáveis, visto que muitas empresas lidam com os impactos da COVID-19; controladora América Móvil ficou em alta.

Ilustração Pixabay
Imagem: Pixabay

Ao que tudo indica, a Claro enfrenta a pandemia do novo coronavírus de maneira estável. A informação certamente surpreende quem esperava impactos mais drásticos do momento pandêmico nas receitas da operadora.

Entre os serviços, o crescimento ficou direto na receita líquida de serviços móveis e na banda larga residencial, respectivamente em 8,4% e 10,4%.


A estabilidade é logo percebida quando se faz um comparativo com 2019, no mesmo período de análise. Uma alta de 0,14% foi registrada e o valor da receita líquida total passou para R$ 9,16 bilhões.

Entretanto, obviamente, a operadora não passa despercebida pela pandemia da COVID-19.

Em comunicado, a Claro destaca o menor volume da venda aparelhos smartphones, mas também o menor custo das questões administrativas com o fechamento de prédios e lojas físicas.

Ao todo, foram mais de 6,7 milhões de acessos na banda larga no mês de abril, em conexões com velocidades acima de 34 Mbps.

VIU ISSO?

–> Como a Claro vai ofertar ‘5G’ antes do leilão de frequências?

–> Claro distribui chip pré-pago pelo site; saiba como adquirir

–> Claro está oferecendo bônus para quem abrir conta no Banco PAN

Portanto, a liderança de mercado entre as grandes operadoras foi mantida, com os 118 mil novos acessos na internet fixa da operadora.

Controladora sobe!

A gigante América Móvil, dona da marca, cresceu 40% no período, com lucro de 20,06 bilhões pesos mexicanos, na conversão são R$ 4,81 bilhões. Na receita, um avanço de 0,6% foi registrado.

Já na atuação brasileira, que engloba também a Nextel, adquirida recentemente, outra estabilidade foi registrada.

Uma queda de apenas 0,05%, com valor em R$ 9,54 bilhões foi registrada. O Ebitda (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) avança para R$ 3,86 milhões, alta de 10,6%.

Com informações de Valor Econômico e SUNO Research

Anderson Guimarães
Jornalista com seis anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop. E-mail: [email protected]
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários