YouTube toma iniciativa para proteger operadoras

Manifestantes destruíram equipamentos de telecomunicações por conta de teorias espalhadas na rede.

Ilustração Unsplash
Imagem: Unsplash

A teoria que relaciona o 5G como o grande responsável da pandemia do coronavírus se tornou mais perigosa do que o esperado. Depois de ocasionar uma série de ataques na infraestrutura de operadoras no Reino Unido, o YouTube resolveu agir contra a onda de notícias falsas.

De agora em diante, o site vai banir vídeos que corroboram ou espalhem informações sobre a polêmica teoria da conspiração que já causa um verdadeiro estrago no Reino Unido.


Na decisão, o Google acatou com o pedido do Ministro da Cultura britânico, Oliver Dowden. A solicitação também foi feita para o Facebook, que deve aplicar medidas também no Instagram e WhatsApp.

Entretanto, para o YouTube, a iniciativa valerá como uma forma de conter informações falsas que atrapalham as ações preventivas a pandemia do COVID-19.

VIU ISSO?

–> YouTube anuncia severa mudança para os canais infantis

–> YouTube Brasil começa a reduzir resolução de vídeos

–> YouTube pode receber recurso semelhante ao do Amazon Prime Video

Além de ser uma forma de proteger as operadoras que foram atacadas, é uma prática benéfica para toda população atingida pelo desserviço das famosas “fake news“.

Vídeos que se enquadram poderão ser removidos, demonetizados pela plataforma ou não considerados nos resultados de busca. Vai depender de como a análise de conteúdo deve agir.

As outras redes sociais também comunicaram que vão combater a propagação de notícias falsas. Twitter e Facebook estão inclusos.

O WhatsApp, por exemplo, voltou a limitar o encaminhamento de mensagens.

Com informações de Tecmundo

No UOL Play você encontra filmes, séries, desenhos, shows e esportes ao vivo. Além disso, alugue os títulos que acabaram de sair do cinema. Clique e experimente por 7 dias grátis!

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
0 0 voto
Nota para o redator
Acompanhar esta matéria
Notificação de
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários