Funcionários da Claro saem na pancadaria com cliente

Caso ocorreu em shopping e imagens viralizaram na internet; confira o vídeo.

Nesta segunda-feira, 9, atendentes de uma loja da Claro se envolveram em uma confusão com um homem, aparentemente um cliente, no Shopping da Bahia, em Salvador. A briga foi registrada em vídeo e divulgada na internet.

Nas imagens, é possível perceber uma discussão entre os vendedores da Claro e um cliente com uma camiseta branca, acompanhado de uma mulher. Em seguida, o homem entra aos gritos na loja e dá início à pancadaria, quando um grupo de funcionários da operadora revida, agredindo-o no corredor do shopping.


A Polícia Militar foi acionada, mas não existem informações se alguém foi detido ou o que motivou a briga.

Por meio de assessoria, o Shopping diz que “lamenta o ocorrido e reforça que deu todo suporte necessário para o cliente e o comerciário”.

OUTROS CASOS NEGATIVOS ENVOLVENDO A CLARO

–> Cliente não consegue cancelar linha na Claro e espanca atendente

–> Claro desrespeita bloqueio de telemarketing e leva multa milionária

–> Adesão ao Claro flex causa dor de cabeça para usuários

Confira o vídeo da confusão:

O Minha Operadora entrou em contato com a assessoria de imprensa da Claro e recebeu o seguinte comunicado:

“A Claro repudia toda e qualquer forma de violência e informa que está apurando os fatos ocorridos em uma de suas lojas, bem como as circunstâncias que os desencadearam.

A Claro informa também que um boletim de ocorrência já foi registrado para que as autoridades policiais apurem as responsabilidades dos envolvidos.”

Com informações de iBahia e TV Aratu.

COMPARTILHAR EM:

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
7 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
William Cabral

E essa pessoa que sai dizendo que vai matar?

Cidade - UF
Quixadá,ce
Nivio Godoi

Pode ser coincidencia; mas na Claro aqui em Santos, no shopping Praiamar; os funcionários me trataram como um zé ninguém; não que eu me julgue melhor que qualquer pessoa; mas eles são indiferentes, ignorantes, e se vc facilitar vão te humilhar sem compaixão. Conclusão; cai fora daquela merda.

Cidade - UF
Santos SP
Marcelo Ribeiro

Os funcionários de loja de qualquer operadora devem sofrer pressão permanente, para bater metas em linhas pós. A aparente antipatia se deve a isso. Seus empregos estão “ameaçados” a cada mês. Trabalham sob pressão o tempo inteiro.
Por isso, as vezes tratam muito mal clientes pré pagos ou pós venda quando dá problema.
As operadoras visam o lucro sempre às custas de seus clientes e colaboradores.
A antipatia das lojas Claro é velha conhecida de muitos clientes. Por isso eu colaboro e não uso Claro.

Cidade - UF
Novo Hamburgo RS
Sandra Rodrigues de Lima

No shopping Dom Pedro em Campinas SP tem duas lojas da claro, queria trocar meu cel e estava com um casal de amigos, sou cliente claro a anos, o atendente falou que não tinha nenhum plano no segmento que eu procurava, entrei na outra loja e compras dois celulares com plano que no total deu uns 6 mil para o vendedor, só não esfreguei na cara do moço porque a primeira loja já tinha fechado.

Cidade - UF
Hortolândia SP
Andressa Oliveira

O cliente deve ter reclamado do prezão que os atendentes dizem que é obrigatório ter! ISSO NÃO EXISTE ! Atendem com má vontade parece que está fazendo favor !

Cidade - UF
Rio de janeiro
Marcelo Ribeiro

Ao que parece, um funcionário da loja da Claro habilitou, de forma clandestina, uma linha pós utilizando os dados pessoais do cliente.
Ele tentou cancelar essa linha fantasma e não obteve sucesso. A Claro via Anatel informou para ele desconsiderar as cobranças, que no entanto continuaram.
Infelizmente ele perdeu a cabeça quando na verdade deveria ter procurado seus direitos e tirado uma graninha dos mexicanos.

Cidade - UF
Novo Hamburgo RS
Leonardo Martinelli

A imagem bem clara, o cliente foi primeiro para cima de um funcionário.
Só que ele não pensou antes que ele estava em menor número.
Imagina você estar no ambiente de trabalho e ser agredido.
Quem quer resolver não inicia uma agressão só procura resolver.

Cidade - UF
São Paulo- SP