EUA pretende financiar empresas concorrentes da Huawei

Nokia e Ericsson seriam beneficiadas com linhas de créditos para se tornarem mais atraentes para operadoras.

Foto: Reprodução

A guerra dos Estados Unidos com a Huawei está longe de ter um fim. Após a Huawei ser proibida de utilizar componentes de fornecedores do país, autoridades americanas estão cogitando a possibilidade de conceder créditos para a Nokia e Ericsson, rivais da gigante chinesa, permitindo que elas vendam seus equipamentos com custo menor para as operadoras. As informações são do Financial Times.

Cada vez mais os EUA estão preocupados com a expansão global da Huawei no mercado de infraestrutura de 5G. Segundo o instituto de pesquisa Dell’Oro, a companhia já vende 28% dos equipamentos de telecomunicações do mundo.


A emissão de crédito para a Nokia e a Ericsson permitiria que elas competissem em igualdade com a Huawei, que recebe financiamento de bancos chineses para ter preços mais competitivos. Estima-se que a empresa cobre de 30% a 50% mais baratos que seus concorrentes.

Além das europeias, as americanas Oracle e Cisco têm sido estimuladas a produzirem infraestrutura de redes móveis, podendo entrar no mercado do 5G e bater de frente com as rivais.

VIU ISSO?
–> Huawei inaugura laboratório 5G na Coreia do Sul
–> Governo americano deve gastar US$ 1 bilhão para se livrar da Huawei
–> Vivo e Huawei usam rede 5G para testar realidade virtual

O governo de Donald Trump rotulou a Huawei de ameaça à segurança global e proibiu as empresas americanas de fazer negócios com a companhia. O presidente também tem estimulado aliados a fazer o mesmo.

Alguns países vêm atendendo ao pedido de Trump e estão interrompendo a compra de equipamentos 5G da Huawei. É o caso da Austrália.

No entanto, grandes parceiros dos EUA na Europa são favoráveis à liberação, como Reino Unido, Alemanha, França e Noruega.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.

Deixe um comentário

avatar
  Cadastre-se  
Notificação de