Mesmo com campanha negativa dos EUA, Huawei continua no leilão 5G

Fabricante chinesa participou de todos os testes da nova conexão móvel feitos no país.

Fachada da Huawei
Imagem: Investing.com

Os Estados Unidos tentam, mas o domínio da Huawei no implante da tecnologia 5G parece inevitável. A fabricante já esteve ao lado de todas as principais operadoras brasileiras (Oi, TIM, Claro, Vivo e Algar) e deve ser uma das grandes responsáveis pela infraestrutura que vai sustentar a demanda de todas elas para ofertar a conexão no Brasil.

Há meses, circulam informações de que o governo do Estados Unidos tem feito apelos pessoais para que o Brasil deixe de negociar com a empresa. As justificativas vão de espionagem até falhas de segurança.


No entanto, nada foi comprovado e a Huawei segue confirmada no leilão do 5G previsto para ocorrer em meados de 2020 ou ser arrastado até 2021, de acordo com a previsão divulgada pelo jornal O Globo.

John Bolton, ex-conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, se encontrou com autoridades brasileiras em agosto e fez o alerta. Mas, Hamilton Mourão, vice-presidente do Brasil, já confirmou que o país não tem intenção de restringir os laços comerciais com a empresa.

VIU ISSO?
Leilão do 5G pode ser adiado para 2021
Huawei não será proibida de atuar no Brasil
Briga da Huawei com os EUA não preocupa a TIM

Por trás de toda essa rivalidade com a China e o boicote à Huawei, há a desconfiança de que toda essa guerra tem um único propósito: brigar pela liderança mundial na adoção do 5G.

Com o 4G, os americanos conquistaram a liderança e a tecnologia, na época, foi essencial para o surgimento de empresas como o Facebook e Netflix, hoje na lista das mais valiosas do mundo.

ECONOMIZE! 💰 Compare os planos das operadoras de celular e escolha o mais vantajoso para você.

Países como Japão, Nova Zelândia, Austrália, Reino Unido e EUA romperam as relações comerciais com a Huawei.

A conectividade de quinta geração é vista como uma verdadeira revolução. É ela que promoverá a emersão das cidades digitais, assim como outros inúmeros projetos que parecem ter saído de um filme futurístico, como os carros autônomos.

Com informações do Estadão

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários