Leilão do 5G pode ser adiado para 2021

Interferência da tecnologia na recepção do sinal das antenas parabólicas pode ser o motivo do adiamento.

Antena parabólica
Imagem: Pixabay

Anteriormente previsto para março de 2020, o leilão do 5G pode acabar sendo arrastado até 2021. O motivo seria a falta de definição para a possível interferência da conectividade de quinta geração na recepção do sinal das antenas parabólicas em 22 milhões de casas em todo o Brasil.

Se confirmado, o atraso deve ser recebido com grande insatisfação pelo mercado de telecomunicações, que anseia pelo início das operações com o 5G. A conexão deve movimentar a economia do país de maneira significativa.


Para analistas, não se trata apenas de uma evolução do 4G. A nova conexão móvel é basicamente uma revolução. Possibilitará o surgimento de cidades inteligentes e deve acelerar o surgimento de inúmeras tecnologias.

No entanto, o governo está com dificuldades para encontrar uma solução na possível interferência, que já foi confirmada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

O número de residências afetadas corresponde a aproximadamente 31% dos lares no Brasil. Todos eles poderiam ficar sem receber o sinal de determinadas emissoras de televisão, caso o 5G surgisse no país sem essa preocupação.

VIU ISSO?
Lucro com leilão 5G no Brasil será menor do que nos outros países
5G pode interferir nos sinais da TV aberta; Eutelsat sugere solução
5G não ameaça a TV aberta via satélite, segundo a TIM

Há uma previsão de que leilão movimente cerca de R$ 20 bilhões para os cofres do Brasil. Metade do dinheiro será destinada ao governo como outorga e a outra parte será revertida em investimentos nas redes, especialmente em regiões com baixa atratividade econômica.

ECONOMIZE! 💰 Compare os planos das operadoras de celular e escolha o mais vantajoso para você.

As antenas parabólicas são as únicas opções para receber sinal de TV aberta em várias regiões do Brasil. O percentual é mais elevado nas regiões Norte e Nordeste, respectivamente 40% e 46%.

Uma das frequências utilizadas pelo 5G é a de 3,5 GHz, é por ela também que o sinal das emissoras de TV aberta é enviado. Com uma interferência, a imagem perde a nitidez. A banda mencionada será a pioneira para adoção da nova conexão móvel no Brasil.

Para antenas domésticas, uma das soluções cogitadas é migrar para a banda Ku. Entretanto, as famílias precisariam trocar seus equipamentos.

A Anatel estuda outras maneiras de resolver o problema, mas ainda não chegou a nenhuma definição certeira para a situação. Na visão mais otimista, o leilão é previsto para meados de 2020, mas a possibilidade de ficar para 2021 é real.

Com informações do jornal O Globo.

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários