Início5GHuawei não será proibida de atuar no Brasil

Huawei não será proibida de atuar no Brasil

Vice presidente brasileiro descartou vetar equipamentos da empresa chinesa na implantação do 5G.

Porta aberta Huawei
 SOE ZEYA TUN (REUTERS)

O vice presidente Hamilton Mourão declarou que não pretende vetar a presença da Huawei em solo brasileiro na implantação da tecnologia de quinta geração (5G) da telefonia móvel. Por pressão americana, países como Austrália e Japão já proibiram o uso de equipamentos e serviços da Huawei na rede 5G.

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, Mourão admitiu que o presidente Jair Bolsonaro foi alertado sobre a Huawei por Donald Trump, durante visita que o presidente brasileiro fez à Casa Branca em março. Mas segundo ele o governo brasileiro não tem receios, “aqui não”.

Para Mourão, o Brasil pode extrair vantagens do embate que os Estados Unidos travam com a China. “Em uma guerra comercial a gente tem que explorar as oportunidades, temos que ser flexíveis e pragmáticos”, disse.

VIU ISSO?
Facebook e outros apps não estarão nos celulares Huawei
Huawei inaugura laboratório 5G na Coreia do Sul
Vivo e Huawei usam rede 5G para testar realidade virtual


De volta ao país, Mourão esclareceu que a viagem oficial que fez não se deu apenas em função desse assunto. Um dos objetivos era que a Cosban (Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação) voltasse a funcionar após quatro anos parada.

E que ela fosse estabelecida como mecanismo que possa filtrar todo o relacionamento entre os países. Segundo Mourão, os chineses são muito agressivos, “eles vão em governo estadual, em ministério e muita vezes a gente não tem controle e não sabe o que está acontecendo”, disse.

O vice preparou um relatório da viagem que fez para o presidente Bolsonaro, que deve visitar a China ainda este ano.

Bruno Ribeiro
Jornalista com atuação regionalizada há mais de 10 anos em assessoria de imprensa para o setor de Telecomunicações. Com passagem por Agência de Comunicação, Jornais e TV da região nordeste.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários