Fábrica da Huawei representa forte expansão da marca no Brasil

Gigante chinesa vai investir US$ 800 milhões na construção e pretende focar no 5G.

Huawei P30 Pro, smartphone da marca.
Imagem: Divulgação Huawei

Será que ainda veremos a Huawei tão influente no Brasil quanto a Samsung, por exemplo? Tudo indica que sim. Se depender dos investimentos e esforços da marca, a previsão é que os negócios da fabricante se expandam cada vez mais em terras brasileiras.

Além de ser a fornecedora mais avançada em redes de acesso 5G, inclusive com contratos fechados no Brasil, a Huawei investe na produção de potentes smartphones para concorrer com gigantes do mercado como Apple e Samsung, por exemplo.


Os avanços do P30 Pro

Imagem: Divulgação Huawei

O top de linha da Huawei, modelo P30 Pro, tem a segunda posição no ranking feito pelo DxOMark com os melhores smartphones para fotografias. Com um desses, é possível fazer um registro da lua sem as imperfeições características do registro por qualquer outro aparelho. O modelo perde apenas para o recente Galaxy Note 10+, da Samsung.

Para a fábrica no Brasil, o investimento previsto é de R$ 3,31 bilhões de 2020 a 2022 e o foco será na montagem de celulares. A ideia também é que a empresa se prepare para uma participação no leilão do 5G, previsto para 2020.

Incertezas com os EUA

As incertezas recentes para a Huawei, que podem ter afastado muitos consumidores da marca, foram os embates com os Estados Unidos, que acusava a companhia e promover uma espionagem no país para beneficiar o governo chinês.

Justamente quando a tensão comercial parece ter encontrado um fim, com uma liberação para que a marca continue a negociar com empresas americanas, o presidente Donald Trump anunciou que o boicote segue em vigor, por motivos desconhecidos.

VIU ISSO?
Guerra dos EUA contra Huawei pode beneficiar 5G no Brasil
Vivo traz para o Brasil os smartphones P30 Pro e P30 Lite da Huawei
Oi e Claro pedem que governo não barre a Huawei

Harmony OS

Imagem: Divulgação Huawei

Entretanto, a gigante chinesa parece se preparar para o pior e continua a gerar rebuliço no mercado, com o anúncio do HarmonyOS, o novo sistema operacional. Baseado em microkernel, ele terá a capacidade de se adaptar a smartphones, colunas inteligentes, wereables e até sistemas de carros.

O rompimento com o Google pode gerar perdas significativas para as duas companhias. De acordo com o presidente da fabricante, Ren Zhengfei, Huawei e Google sempre estarão na mesma linha de interesse.

Portanto, com a separação, é bem provável que a gigante das buscas tenha uma perda estimada em 700 a 800 milhões de usuários no futuro. O HarmonyOS promete ser mais rápido e eficiente que o Android, mas a empresa ainda deseja manter negócios com o Google.

Conforme explicou Chenglu Wang, presidente de software, a Huawei pode sofrer de um a dois anos com a perda do Android, que tem uma loja com enorme variedade de aplicativos. Será difícil por algum tempo, mas o HarmonyOS irá crescer nesse domínio.

Especulações futuras

Mesmo com o boicote dos Estados Unidos, a Huawei se articula com o mundo inteiro pela liderança no fornecimento do 5G, assim como na fabricação de potentes smartphones que já conquistam diversos fãs.

A tensão comercial com o Google e outras empresas americanas terá seu impacto, mas a marca parece trabalhar para que os efeitos negativos sejam rapidamente convertidos em positivos.

No Brasil, a atuação é cada vez mais promissora, especialmente nos novos modelos de smartphones da marca que estão para surgir, já equipados com modems 5G. Entretanto, a consolidação do HarmonyOS se faz necessária.

Com informações da Folha de São Paulo

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.

Deixe um comentário

avatar
  Cadastre-se  
Notificação de