24/02/2024

Vivo comemora 25 anos na Bolsa de Valores (B3) e celebra investimentos

Durante seu discurso, o CEO da tele, Christian Gebara, falou sobre a trajetória da empresa na B3 e os planos para o futuro.

Nesta quarta-feira (18), a Vivo comemorou 25 anos na B3, bolsa de valores brasileira, em um evento realizado na Bolsa brasileira, em São Paulo. ”A Vivo é a maior empresa de telecomunicações do país, com o maior número de investidores”, celebrou o CEO, Christian Gebara, que junto com outros executivos, acionou o tradicional “toque de campainha” para marcar a conquista.

Foto: Karen Lemos – Terra

A principal celebração é do Brasil. Os grandes investimentos realizados pela B3 no setor, reiterado pela Vivo, revolucionaram as telecomunicações do País, tornando-a mais acessível”, pontuou Gebara em discurso.

Durante seu discurso, Gebara destacou o início da história da operadora no mercado de capitais em 1998, quando adquiriu a companhia de telefonia fixa de São Paulo, a companhia estatal de telecomunicações do sistema Telebrás, a Telesp, afirmando que desde então já investiu R$ 530 bilhões (entre Capex e aquisições) no mercado brasileiro e atraiu mais de 1,7 milhão de acionistas.

O atrativo para o grande número de pequenos acionistas pelas ações da Vivo, o executivo atribuiu a política de distribuição quase integral de seu lucro sob a forma de dividendos e JCP (juros sobre capital próprio).

“Inicialmente, oferecíamos apenas a telefonia fixa no Estado de São Paulo. Hoje, esse serviço é menos relevante para o nosso negócio, que teve de se adaptar, de forma radical, para acompanhar todas as inovações tecnológicas ao longo desses 25 anos”, disse.

Gebara afirma que a operadora planeja ampliar ainda mais o papel de fornecedora de serviços digitais para os próximos 25 anos, e não apenas como operadora de conectividade. “Nosso legado para o futuro é cada vez mais atuar como uma empresa de tecnologia. Apesar de o Brasil ser apontado como o país que mais consome internet, muitos brasileiros ainda não conseguem usar o serviço”, afirmou.

Para além do serviço de telefonia, a operadora está buscando investimento em novas áreas. O presidente da empresa recordou quando a Vivo ofereceu a primeira cobertura de 3G e 4G no país.

“A confiança dos nossos clientes fizeram com que nos tornássemos a maior companhia de telecomunicações do Brasil e uma das maiores, em quantidade de clientes, com 112 milhões de acessos à operação móvel”, pontou.

Ainda destacou a maior rede de fibra da América Latina, chegando em 24,7 milhões de casas. Gebara falou que a empresa mantém a meta de chegar, no final do próximo ano, com 29 milhões de casas atendidas por sua rede de banda larga.

Além disso, o executivo revelou que a operadora não pretende mais construir rede própria de banda larga fixa para expandir os serviços, depois que concluir o cabeamento das 29 milhões de residências. “Existem outras redes de fibra neutra que podemos usar”, afirmou.

FonteTerra
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários