Decisão sobre o futuro da SKY e AT&T no Brasil ganha nova data

Uma nova reunião foi agendada pela Anatel para retomada das discussões sobre o tema.

Divulgação da SKY nas redes sociais
Imagem: Divulgação da SKY nas redes sociais

Será que a novela da AT&T está próxima de ter um fim? A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) agendou uma reunião para o dia 5 de setembro. Na ocasião, o debate será sobre a aprovação da aquisição da Time Warner no Brasil e o futuro da operadora de TV por assinatura SKY.

Nos últimos dias, o tema ganhou ainda mais pressão com o envolvimento do nome da Oi, que pode acabar beneficiada e ter um comprador em potencial com todo esse processo.


Para entender o imbróglio: a operadora americana AT&T, dona da SKY no Brasil, comprou a empresa de mídia Time Warner em 2016, pelo valor de US$ 84,5 bilhões.

Entretanto, a companhia encontrou barreiras no Brasil. A Lei da TV paga, também conhecida como Lei do SeAC, impede que uma distribuidora de conteúdo tenha mais de 50% do controle de uma produtora, para que não existam concorrências injustas.

Nesse caso, a operadora americana seria dona da SKY e dos canais Warner no Brasil: HBO, Cartoon Network, Warner Channel, TNT, entre outros.

Com isso, os técnicos da Anatel chegaram a pedir que a AT&T vendesse a SKY em seis meses, mas a empresa argumentou que a sede da Time Warner é sediada nos Estados Unidos e não fere a legislação brasileira.

A americana inclusive ameaçou parar de comercializar os canais da Warner na TV paga, caso fosse obrigada a colocar a SKY para venda.

VIU ISSO?
Americana AT&T formaliza seu interesse pela Oi
AT&T está disposta a fechar canais no Brasil para não perder SKY
Anatel manda que AT&T venda a SKY Brasil

Quando passou pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a AT&T assinou um termo que obriga a manutenção das duas marcas como pessoas jurídicas separadas e a não discriminação da concorrência.

O processo todo ganhou um novo capítulo por conta da próxima relação entre os presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump. O líder dos Estados Unidos teria pedido que a aquisição da Warner fosse aprovada no Brasil, em prol da relação estratégica entre os dois países.

Entretanto, para que isso seja feito, é necessária uma alteração na Lei da TV paga, pelo fim da proibição para a propriedade cruzada na TV por assinatura.

As coisas ganharam um novo fôlego quanto Randall Stephenson, presidente da AT&T, se encontrou com o presidente Jair Bolsonaro e ofereceu investimentos em todos os segmentos do setor de telecomunicações, em troca a da aprovação da aquisição da Warner.

A americana, inclusive, formalizou seu interesse em comprar a Oi, que vive momentos difíceis na sua estrutura financeira e está próxima de uma falência. Mas para isso, será necessária a aprovação do novo marco regulatório das telecomunicações.

Será que a gigante americana vai conseguir o que tanto deseja com a intervenção do Governo Federal nas leis brasileiras?

Teremos que aguardar as cenas dos próximos capítulos para entender como tudo será resolvido!

Com informações do Suno Research

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.

Deixe um comentário

Por favor, faça login para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de