sexta-feira, 4 de maio de 2018

Elliott assume controle da Telecom Italia

O que você achou? 
A lista de cinco conselheiros apresentada pela Vivendi teve menos votos que a proposta pelo fundo estadunidense.

O Conselho de Administração da Telecom Italia, proprietária da TIM, decidiu votar a favor de uma chapa alternativa de conselheiros independentes, fazendo com que a Vivendi perdesse o comando da empresa. 

A proposta foi apresentada pelos fundos estadunidenses Elliott Associates, Elliott International e The Liverpool Limited.

Durante a votação, o Elliott fez dez conselheiros contra cinco indicados pela Vivendi. A lista da Elliot obteve 49,84% dos votos contra 47,18% dos votos a favor dos conselheiros da Vivendi. As abstenções representaram 2,38%. 

LEIA TAMBÉM:


O mandato dos novos conselheiros é de três anos, vencendo em 31 de dezembro de 2020. A remuneração anual total dos representantes será de € 2,2 milhões.

A vitória do Elliott surpreendeu já que o fundo entrou este ano na companhia e possui apenas 9% das ações. Já a Vivendi detém 25% do capital da empresa.

O fundo já havia contestado a forma de gestão da Vivendi e o suposto desrespeito ao direito dos acionistas minoritários. O Elliott ainda defendeu a venda de ativos.



9 comentários:

  1. Quem quer saber disso, me poupe, arrumem noticino que interessa ao público brasileiro.

    ResponderExcluir
  2. Amigo Roberto...tudo oque acontece la fora afeta aqui nas nossas operadoras....as noticias aqui são sempre bem editadas e validas pra todos nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia amigo, agradeço pela mensagem, vejo que você vem de um berço com uma excelente educação diferente de algumas pessoas, tenha um ótimo dia.

      Excluir
  3. O fundo abutre Elliot que agora assumiu o comando da Telecom Itália é o mesmo que queria o controle da Oi e a fusão Tim+Oi. A fusão agora é questão de tempo, pois a Elliot possui papéis da dívida da OI e o controle da Tim. Vivo e Claro devem estar começando a se preocupar, pois uma vez juntas, Oi e Tim seriam a maior operadora do Brasil após fusão. A economia seria de 25 bilhões de dólares com a fusão, mesmo a Oi móvel tendo que devolver licenças sobrepostas. Se o fundo Elliot assumiu a Telecom Itália foi pra tentar de vez a fusão.

    ResponderExcluir
  4. O fundo possui papéis de dívidas da Oi e conhece a operadora e seus problemas. Como pode converter os papéis da dívida em ações da Oi, pode fundir Tim e OI sem problemas agora que tirou a Vivendi ( amiga da Vivo) do caminho.

    ResponderExcluir
  5. A operadora resultante da fusão Tim/Oi teria na hora 41% de market share, superando a Vivo imediatamente.

    ResponderExcluir
  6. Se a Vivo não assumir fico feliz, se não já era uma concorrente no Brasil, no caso a Tim Live x Vivo fibra, já que onde a Vivo abandonou fazem anos ela esta investindo em internet via cabo de alta velocidade.

    ResponderExcluir
  7. Não sei se seria uma boa ideia uma fusão TIM x Oi neste momento. Creio que a TIM tem feito um excelente trabalho, investindo por conta própria; sem contar que a Oi está cheia de problemas e sucateada, fazendo o dever de casa para sair de sua Recuperação Judicial.

    ResponderExcluir