sexta-feira, 18 de maio de 2018

Anatel já bloqueou 37 mil celulares piratas em maio

O que você achou? 
O bloqueio está sendo realizado em aparelhos irregulares habilitados após o dia 22 de fevereiro no Distrito Federal e em Goiás.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou, nesta sexta-feira (18), que 37 mil celulares piratas já foram bloqueados no Distrito Federal e em Goiás. Os bloqueios tiveram início no último dia 9. 

Aparelhos irregulares são aqueles sem certificação ou adulterados, que podem causar riscos aos consumidores e problemas nas transmissões. 



Os bloqueios foram realizados nos celulares piratas habilitados após a data de 22 de fevereiro. Os usuários desses aparelhos receberam mensagens informando sobre as irregularidades.

A iniciativa faz parte do Projeto Celular Legal que busca fortalecer o combate a aparelhos adulterados, roubados e extraviados, além de inibir o uso de aparelhos não certificados pelo órgão regulador.

Cuidados


A agência explica que cada celular tem um número de identificação único e global, chamado de IMEI (International Mobile Equipment Identify). 

O IMEI é um código composto por 15 números que permite identificar o órgão responsável (China, Índia, EUA, resto do mundo) e até marca e modelo do aparelho.

LEIA TAMBÉM:


Esse código atesta a autenticidade do equipamento, permitindo que um aparelho roubado possa ser bloqueado em qualquer país.

É possível verificar a situação do IMEI do dispositivo por meio do portal da Anatel.

Antes de adquirir um aparelho, o órgão regulador também sugere que o consumidor verifique se o número que aparece na caixa, o número do selo e o número que aparece ao discar *#06# são os mesmos.

Casos esses números sejam diferentes, há uma grande chance de o aparelho ser pirata. 

O diretor de serviços de IMEI da GSMA, Adrian Dodd, explica que “é importante que se faça a constante checagem da lista negra, de fabricantes que devem ser investigados, e da lista branca bons fabricantes. É preciso também realizar testes em modelos mais vendidos e mais roubados.”

Dodd ainda disse que a GSMA tem monitorado as ferramentas utilizadas pelos hackers para clonagem e adulteração de IMEIs.



Nenhum comentário:

Postar um comentário