quinta-feira, 17 de maio de 2018

TAC da TIM é ampliado pela Anatel

O que você achou? 
Conselheiros da agência ainda debateram sobre as obrigações das operadoras com a banda larga rural. 

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) decidiu, nesta quinta-feira (17), incluir parte de um Procedimento de Apuração de Descumprimento de Obrigações (PADO) no Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) em negociação com a prestadora TIM.

Para isso, o novo Pado ou a parte a ser acrescentada tem de ser similar aos procedimentos já presentes no TAC



Por enquanto, apenas os descumprimentos relativos à fidelização do cliente (prazo mínimo de 12 meses de permanência do usuário no plano ofertado em troca de benefício recebido da prestadora) serão incluídos.

Quando a operadora descumpriu a regra, o prazo de permanência estava presente no regulamento do serviço móvel pessoal.

Esse artigo foi revogado, ampliando a obrigação para todos os serviços, incluindo o de telefonia móvel. 

[ATUALIZAÇÃO - 18/05/2018 17H04]:

Apesar de acrescentar alguns termos ao TAC, a agência optou por adiar a definição do termo para para o segundo semestre de 2018.

O relator do processo, conselheiro Leonardo Morais, pediu o adiamento nas tratativas por 120 dias para ajustes na proposta. A expectativa é que o termo envolva entre R$ 450 milhões e R$ 500 milhões.


Banda Larga Rural


Na reunião desta quinta-feira (17) também foi debatida a questão da banda larga rural. O conselheiro da Anatel Emmanoel Pereira solicitou vistas do processo relativo às obrigações de atendimento de banda larga rural por faixas de 450 MHz.

As obrigações, estabelecidas em 2012, determinam o atendimento por banda larga rural a até 30 km da sede dos municípios.

Já o conselheiro Aníbal Diniz apresentou uma proposta que permite o atendimento por satélite em vez de rede terrestre dessas áreas, conforme solicitado pelas operadoras.

No entanto, onde ocorrer o atendimento por satélite, a obrigação passa de 80% para 100% de cobertura.

Nas áreas não atendidas pelas faixas de frequência de 450 MHz, as empresas devem devolver as faixas para que a Anatel realize futuro leilão. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário