quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Nada de VoLTE para a Claro: foco da operadora é em 4.5G

O que você achou? 
CEO Paulo Cesar Teixeira critica concorrentes que afirmam oferecer a tecnologia a partir do 4G+ e 4G Plus e ainda exaltam os “dados ilimitados”.

Durante a coletiva de imprensa da Claro Brasil, realizada no Palácio Tangará, em São Paulo, nesta quinta-feira (14), o CEO da operadora, Paulo Cesar Teixeira, afirmou que ainda não lançará as chamadas por 4G, o famoso VoLTE explorado pela TIM e Vivo nos últimos meses. Mais do que isso, aproveitou a ocasião para criticar os concorrentes quando o assunto é a rede e franquia de dados.

“É importante explicar que o 4.5G é mais do que o carrier aggregation. Vemos concorrentes colocando que tem o 4G+ e 4G Plus pelo carrier aggregation, mas isso todos têm”, afirma. Ele conta que a Claro utiliza as funcionalidades MIMO 4X4 e 256QAM, necessárias para o alcance da rede 4.5G e exclusivas da Claro para chegar à velocidade de 1Gbps por segundo, 10 vezes mais rápido do que o 4G convencional.


Ao citar o VoLTE, Teixeira diz que a tecnologia ainda precisa de aprimoramento para entregar maior qualidade aos consumidores, e que a experiência do grupo mostrou fragilidades do recurso. “Entendo que empresas que não tem frequência baixa como a Claro tem o máximo interesse de lançar (o VoLTE), até porque a penetração deles vai aumentar no sentido de cobertura, voz, mercado indoor, mas não temos essa dificuldade”.

Ele conta que a Claro até pensa em lançar o VoLTE, mas quando for possível alcançar todos os aparelhos e sem a percepção de problemas de qualidade, como acontece hoje.

Por fim, o empresário alfineta as operadoras que dizem oferecer dados ilimitados e diz que a Claro tem a preocupação de mostrar ao cliente os serviços de qualidade que possui, sem exagerar.

“Não existe essa questão de dados ilimitados. São dados que em determinado momento têm a velocidade reduzida, portanto as operadoras estão degradando a qualidade do serviço, não entregam o mesmo que entregavam quando o cliente contratou o plano de dados”, e ainda completa: “A Claro não faz isso, temos esse cuidado e portanto eu diria que não nos preocupa esse aspecto de que possamos eventualmente ou não estar priorizando um ponto ou outro. Mas a nossa prioridade nesse momento é a cobertura com o 4.5G”.

Claro X concorrência 

Além de destacar a tecnologia do 4.5G e falar sobre o uso da faixa de 700 MHz em mercados em que já houve a liberação da frequência, assim como a compra de mais frequências que seriam o seu diferencial, a Claro aproveita para falar sobre as chamadas ilimitadas lançadas em 2017.

Vale lembrar que o CEO Paulo Cesar Teixeira chegou na operadora há cerca de 8 meses, quando o ilimitado começou a acontecer. Sobre o assunto, ele afirma que acelerou, junto com o diretor da Claro no Brasil, José Antônio Félix, a chegada do ilimitado, mas que esta já era uma tendência para o mercado.

“O que alavancou as vendas, o mais surpreendente foi o ilimitado no pré-pago, que ninguém acreditou que faríamos”, diz Teixeira.

Em abril, os consumidores começaram a ganhar as chamadas ilimitadas para qualquer operadora no pós-pago da Claro. Depois, a TIM passou à frente e garantiu a mesma oferta para clientes do plano Controle. De fato, era difícil esperar que, ainda em 2017, uma operadora lançasse esse mesmo tipo de benefício no pré-pago, mas a Claro fez o lançamento em agosto deste ano.

Hoje, não só a Claro, mas Oi, TIM, Nextel, Algar Telecom e até mesmo a Vivo, com alguns planos pós-pago e o Vivo Easy, oferecem as chamadas ilimitadas. Resta esperar 2018 para ver o que mais de ilimitado as operadoras podem oferecer. Ou, se os dados ilimitados não passam de uma farsa atualmente, quando de fato eles se tornarão realidade.

LEIA TAMBÉM:


10 comentários:

  1. Moro em uma cidade do RJ que a Claro possui apenas cobertura 2G (GPRS), perdendo para as concorrentes Oi e TIM que já lançaram o 4G aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ambas possui parceria para usarem a mesma infraestrutura sendo chamado de ran sharing.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Sei sobre ran sharing. Todavia, na minha cidade, não foi pelo compartilhamento da infraestrutura. A tecnologia foi liberada através das torres próprias.

      Excluir
    4. Será? Verifica pelo site da Anatel para confirmar essa informação. As duas empresas revezam o custo da infraestrutura em vários estados. Então elas compartilham a mesma infraestrutura. Vi um vídeo de um técnico falando sobre o 4g numa antena da TIM no YouTube e segundo ele é para reduzir custos.

      Excluir
  2. Não sei se a claro está tão acima das outra assim,esse negócio de 4g+ou 4g Plus é poucos aparelho que funciona ou seja não é pra todos só os mais caro. Se vai falar em alguns benefícios que seja pra todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O meu s7 no 4g+ da vivo tá topado todo tempo em SLZ MA é show essa internet da vivo

      Excluir
  3. Isso de Carrier aggregation e mentira eles não usam CA em SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Faz parte da tecnologia e todas usam.

      Excluir